Bola na Rede

bola-na-rede

‘Bola na Rede’, março de 2013. Gol de cabeça.

Por Maurílio Mendes, “O Mensageiro”

Reformulado em 2 de novembro de 2016.

Publicado (em meios e na página) nos anos de 2012 a 2016.

Nessa mensagem, onde o texto estiver em vermelho as ligações pra outras postagens estão em azul. Onde o texto for preto, segue o vermelho tradicional.

Uma postagem dedicada ao esporte. Começamos com Maurílio e Marília jogando futebol.

jogando-bola

Marília também joga futebol – desenho de 2011 provavelmente, ou do final de 2010.

Primeiro falamos do desenho dele, acima. Maurílio fazendo um gol de cabeça. Foi publicado em março de 2013.

Eu jogo futebol na matéria, na ‘vida real’ se você quiser dizer assim. E eu nunca fiz um gol de cabeça. Nunca, em toda a minha vida.

Faço gols com a perna direita e com a esquerda, mais com a direita porque nasci destro, mas desde que decidi me tornar ambi-destro, vários com a esquerda também.

Marco muitos gols de carrinho, alias na turma onde jogamos na Zona Norte de Curitiba sou o artilheiro nessa particular modalidade.

defendendo-de-manchete

‘Defendendo de Manchete’: Marília jogando vôlei de praia em fevereiro de 2014.

Golaços dificilmente eu faço, porque não tenho muita habilidade. Mas como exceções já fiz gols por cobertura e de calcanhar (uma vez apenas cada um deles).

Quando era jovem no Cristo Rei (entre as Zonas Leste e Central) fiz 3 vezes gols de meu próprio campo:

Duas vezes na saída de bola e outra de minha própria área, cobrando tiro de meta – tudo isso em campo de salão, que é bem menor (no Jd. Ambiental, pra quem conhece).

Então não sou nenhum craque – longe disso, apenas ‘dou pro gasto’. Ainda assim, em mais de 30 anos jogando bola já tive a oportunidade de fazer gol de diversas formas. Com o pé, outras partes das pernas e mais raramente até de barriga, quando a bola bateu em mim e entrou.

jogadora basquete marília ruiva regata azul depilada tranças trancinhas cabelo bola esporte

Marília adolescente e jogando basquete, agosto de 2014. Esse desenho tem sua própria postagem,com uma historinha completa, onde eu também mostro ela já adulta vestida de noiva, jogando o buquê pras madrinhas.

Mas de cabeça nunca fiz. Então resolvi desenhar. Quem sabe vai ‘moldando’ a Energia e um dia se realiza. Por enquanto é apenas no papel, e compartilho com vocês.

………

Assim eu jogo futebol, apenas não tenho habilidade pra cabecear.

No entanto, eu não jogo vôlei e nem basquete. Essa parte deixo pra (minha ‘Ânima’) Marília:

Agora vamos falar dela, Marília.

Comecei a desenhar as Mulheres somente em novembro de 2011.

Na verdade um pouco antes, há desenhos do ano de 2011 antes de novembro, e mesmo alguns do final de 2010. Mas são poucos.

O Trabalhou ganhou nome, método, estrutura e ânimo a partir de novembro de 11, então essa data ficou consagrada como o ‘nascimento’ de Marília.

marília, 5 anos de sucesso (2011-2016)

marília mamãe heriberto hülse filho bebê criança camisa criciúma ec e.c. estádio futebol esporte torcedora negra colar cinto vestido marrom segurando braço colo chupeta

Vamos Tigre“: Marília torcedora do Criciúma, julho de 2016. Embora seja uma ‘Tigresa’, Marília não está uniformizada, ao contrário está chique de vestido forrado. O rebento que ela traz nos braços é quem está com a camisa tricolor auri-negra.

Estou reformulando essa mensagem em novembro de 16, parte da série que vai comemorar os 5 anos de Marília.

5 anos pela contagem oficial, algumas gravuras são um pouco anteriores mas essa data que ‘pegou’, dizendo de novo.

Assim como Curitiba já era habitada por seres humanos antes de 1693, mas esse ano é que foi consagrado como o da ‘fundação‘ da cidade.

Aqui vemos dois desenhos da era ‘jurássica’, 2010 e 2011:

São o dela jogando futebol, mais pra cima a direita, e Marília e uma amiga torcendo pelo S. C. Internacional, mais pra baixo na página.

yin-yan: é o rio de janeiro em preto-&-branco

Marília rubro-negraEu não torço pra nenhum time de futebol.

Nem os retratados aqui (Flamengo, Fluminense, Criciúma e Internacional) nem qualquer outro.

Exatamente porque não tenho mais essa preferência, me é indiferente retratar Marília como simpatizante desses clubes ou qualquer outro.

Bem, só o fato que eu a faço tanto como torcedora do Flamengo como do arqui-rival Fluminense já demonstra exatamente isso, a Neutralidade.   

O fato que eu não quero defender time nenhum, e sim Trabalharmos outras dimensões da Consciência.acabei de ganhar flores

…………

Um dos emeios que originou essa mensagem mostrava apenas a Marília Flamenguista: pele negra e segunda pele rubro-negra.

Publicado em 8 de janeiro, 2015:

Então porque o Flamengo é que foi o escolhido? Por dois motivos: 

paixão popular

1- Porque é o clube mais popular da pátria, indiscutivelmente a Paixão de um Povo.

uma vez Flamengo . . .

Marília Rubro-Negra

Como o Colo-Colo é no Chile, e o Olímpia no Paraguai, mas esses são alvi-negros.

2- E, por último mas o mais importante, eu achei que Marília ia ficar uma graça nesse vestidinho listrado.

E você o que achou, gostou dela de vermelho e preto?

…………

Dá-lhe Nense....

Marília Tricolor.

Aí, numa atualização, pra contra-pôr e atingirmos a Neutralidade, adicionei o desenho de Marília torcedora do Fluminense.

Publicado em 24 de janeiro de 2013, na esteira do título nacional do que foi pras Laranjeiras.

Fla-Flu. Zona Norte, Zona Sul.

É o Rio de Janeiro em Preto & Branco. Yin-Yan é isso e não há outro.

…….

Tem mais ainda. Nessa outra postagem eu publiquei Maurílio com a camisa do L.D.U. do Equador.

Yin-Yan preto branco símbolo arquétipo bola círculo desenhoTime que, como sabem, venceu duas vezes seguidas o Fluminense em finais internacionais.

Mas lá eu disse: “Entenda que isso não é uma provocação ao Fluminense. E sim uma Homenagem ao Equador tão Querido”.

E aqui está a prova. Não tenho nada contra o Flu, e por isso aí vai essa homenagem também a torcida tricolor.

no estádio

Torcendo no estádio, com uma pequena bandeira do Brasil em mãos.

De brinde, a direita, Marília e uma amiga na torcida Camisa 12 do Internacional.

Desenhado em dezembro de 2011, publicado em 5 de janeiro de 2012.

Esse das duas garotas nas arquibancadas gaúchas é um dos primeiros desenhos de Marília.

Já que eu começara esse Trabalho de retratar as Mulheres pouquíssimo meses antes, como dito acima.

Nessa outra postagem eu mostro alguns dos primeiros retratos.

segurando bandeira marília ruiva brasileira pátria amada torcedora torcendo futebol seleção camisa uniformizada colar bracelete bijuteria enrolada levantando costas regata amarela depilada

Na Copa de 14, também na torcida com o pavilhão da Pátria Amada, mas num tamanho bem maior. Esse desenho pertence a outra postagem. Lá Marília está de corpo inteiro.

Lá vemos uma outra cena em escala maior a Marília grávida de vestido rosa, passando a mão em seus cabelos ruivos

Em tempo. Desenhei também um casal colombiano em que ambos gostam de futebol, mas torcem pra times opostos:

‘Maurílio’ é torcedor do Nacional, já ‘Marília’ é da barra-brava do arqui-rival Independente Medelím.

Ambos devidamente uniformizados. Dormindo com o Inimigo…

E pra fechar: Bola na Rede” não é um tópico só do esporte. Também da busologia. de faixa e tudo

Já que há uma linha no Recife-PE com esse curioso nome. 

Duvida? Confira logo abaixo (em tomada puxada do sítio Ônibus Brasil).

Dizer o quê, né?buso recife outra postagem: "Bola na Rede" eletrônico amarelo sei itamaracá caio 3 portas pernambuco padronizada

Ah, esses ônibus recifenses . . .

Que Deus Pai-Mãe Ilumine a toda Humanidade.

“Ele-Ela proverá”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s