“Zona de Bomba”????? Calma, são só os bombeiros no Chile

vinha - interior do chile1

Chile, o país do vinho. As margens da estrada que liga a capital ao litoral são dezenas de vinhas.

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 22 de julho de 2015

Seguimos falando sobre o Chile.

Todas as fotos foram tiradas pessoalmente por mim.

Exceto óbvio a que está acima da manchete, claramente identificada como captada via ‘Google’ Mapas. Começando por ela, então.

porto de val1

Porto de Valparaíso

Vou enxertar partes de um emeio que escrevi mais de dois anos antes de eu pisar em solo chileno, quando eu conhecia esse país apenas pela internet.

Zona de Bomba????? Calma, as aparências enganam…
centro-stgo2

Centro de Santiago

Publicado em 29 de janeiro de 2013.

Andava eu por Santiago do Chile via Visão de Rua do ‘Google’ Mapas quando, num bairro de classe média alta, vi uma placa que alertava:

“Zona de Bomba”. Como assim????.

Evidentemente, “Zona de bomba” deveria ter outro sentido, que não atentados terroristas.

hospital militar zona leste

Hospital Militar de Santiago, na Zona Leste. Ao fundo os Andes.

De fato assim é. Fui pesquisar, e pelo visto esse termo espanta todos os brasileiros que visitam esse país trans-andino. A ponto que um deles já esclareceu:

Zona de bomba”, no Chile, significa simplesmente “corpo de bombeiros”.

Menos mal….

As aparências enganam, não é mesmo?

………..

classe alta zl1

Bairro de classe alta, também Z/L de Santiago.

Acaba aqui o emeio de 2013, retorna o material inédito feito em 2015.

Repare como em todas as tomadas o céu está absolutamente azul, sem nenhuma nuvem. O Chile é muito seco, quase não chove.

A vegetação que adorna suas cidades se daria muito bem no interior do Nordeste ou, melhor ainda, no Altiplano Boliviano, seco e frio como o Chile.

………

centro-val1

Centro de Valparaíso, com suas muitas ladeiras.

Alias, no Chile há comunidades boliviana e peruana muito grandes. E também, em bem menor medida, colombiana.

Fazendo uma comparação com a Argentina, onde há muitos paraguaios, muitos bolivianos, poucos peruanos e praticamente nenhum colombiano.

Então, no Chile igualmente há muitos bolivianos (tanto quanto na Argentina), muitos peruanos (muito mais que na Argentina).

E alguns colombianos (poucos, mas ainda assim mais que na Argentina).

ave. peru beira-mar vinha

Avenida Peru, a beira-mar elegante de Vinha do Mar, Grande Valparaíso.

Em compensação, no Chile quase não há paraguaios, que existem em enorme número na Argentina.

No Chile há pouquíssimos negros.

90% dos afro-descententes que você vê nas ruas chilenas são colombianos

E alguns são brasileiros. Mas nossos patrícios que vão morar no Chile (de todas as raças) quase todos são de classe média pra cima.

Já os colombianos são pessoas simples, semi-analfabetos que vão fazer serviços braçais na construção civil e coisas do gênero.

ima-de-geladeira

Os chilenos adoram vinho, a bebida é até ímã de geladeira.

Novamente isso inclui gente de todos os tons de pele, há muitos colombianos brancos, e eles também emigram pro Chile.

O que eu quis dizer é que há poucos chilenos negros, a maior parte dos que estão lá são estrangeiros.

……….

Há um setor do Centro Velho de Santiago que concentra a comunidade peru-boliviana.

vinha

Vinha do Mar

Existem lado-a-lado no calçadão dezenas de centrais telefônicas onde você pode fazer ligações internacionais pelo preço de local (aproveitei e liguei pra minha esposa no Brasil).

E vários restaurantes típicos desses países. O preço é popular, muitos dos clientes são os próprios imigrantes.

Mas a massa trabalhadora chilena também come ali, pois é o que cabe no seu orçamento.

vinha do mar - chile

Vinha do Mar, a orla rica vista de um dos muitos morros da cidade.

No Mercado Municipal de Santiago também há muitos restaurantes bolivio-peruanos, mas esses são caros, direcionados aos turistas.

Nós não almoçamos neles, andamos algumas quadras e achamos um restaurante dominicano.

Veja que curioso. Eu fui a República Dominicana em 2013, e claro comi muitas vezes a culinária popular deles, porque fazia as refeições em restaurantes do povão.

favela - interior do chile

Favela no interior do país, as margens da auto-estrada

E agora, um ano e meio depois, num país que quase não tem negros, fui de novo a uma casa típica dominicana.

Acrescento que algo que nos chamou a atenção foi que não apenas nesse, mas em todos os restaurantes, bares e casas noturnas chilenos há um cartaz na porta que deixa bem claro:

ave. peru beira-mar vinha1

Beira-mar na parte rica de Vinha, pavimentada em concreto.

O estabelecimento se reserva o direito de impedir a entrada de pessoas, conforme julgue conveniente”.

Ou seja, gente sem camisa, embriagada, ou que de qualquer outra forma apresente comportamento dissonante, todos serão barrados na entrada, é uma prerrogativa legal do comerciante.

(Nota: na África do Sul é o mesmo. Absolutamente todos os estabelecimentos [de rodoviárias a lojas a restaurantes e até mesmo condomínios residenciais] têm esse mesmo aviso na frente.)

vida no morro valpo1

Favela em morro de Valparaíso. Rua de concreto.

Já que estamos na culinária, eu creio que no Chile eles não têm muito costume de comer azeite de oliva.

Fomos numa pizzaria. Refinada, essa não tinha nada a ver com os restaurantes mais simples do calçadão onde almoçam os imigrantes. Ao contrário.

Num bairro de classe média, com quadros na parede, ambiente de meia-luz, mesas na calçada.

Não era de luxo, mas não era simples e nem barato, você entendeu.

maipu zona oeste

Maipú, periferia da Zona Oeste de Santiago: rua cimentada.

Pedimos azeite. O cara demorou uma eternidade, achamos que ele tinha ido moer as azeitonas.

E no fim . . . o garçom trouxe numa tigela um pouco de óleo de soja.

É mole? E não foi falha na comunicação.

Eu sei, ‘aceite’ significa nossa palavra ‘azeite’, e também a palavra ‘óleo’.

Tanto o óleo comestível quanto o que se põe no motor do carro. 

classe alta zl3

Bairro elitizado na Z/L de Santiago: rua de concreto.

Mas nós explicamos, e oras, no Brasil é padrão em toda pizzaria o azeite já fica na mesa, nem é preciso pedir.

Pedimos, e explicamos bem, mas não veio, pior, veio outra coisa. 

…………

Voltemos a falar dos imigrantes.

Na capital Santiago há um número muito elevado cozinha peruana-valdeles.

O Chile é muito mais rico que os vizinhos que ele bateu na ‘Guerra do Pacífico‘.

Assim acolhe uma porção significativa de peruanos e bolivianos que vão lá trabalhar.

Em Valparaíso essa concentração é bem menor, mas existe. Fotografei um restaurante no Centrão dessa cidade portuária (esquerda).

bombeiros-vAlias se alguma construção da Zona Central de Valpo pegar fogo vão ligar pra “Bomba Espanha”:

Trata-se de um grupamento do corpo de bombeiros local, visto ao lado.

Corporação que em sua fundação, no século 19, teve grande impulso dos imigrantes britânicos, por isso os nomes de várias estações são em inglês.

centro-stgo

Centro de Santiago. No Chile o concreto é mais comum que asfalto. Centro, classe alta, média e periferia, capital e interior.

O Chile sofre enorme influência da Inglaterra. Tanto quanto na Argentina, e muito mais que no Brasil.

Pra nossa Pátria Amada vieram poucos ingleses no século 19.

Mas pras cidades portenhas da Argentina e Chile (Buenos Aires e Valparaíso) foram muitos.

Exatamente por isso o nome de boa parte dos clubes de futebol dessas nações são anglófilos, como ocorre com os bombeiros.

garagem zl

Garagem do sistema Transantiago, na Zona Leste.

Deixando a Argentina pra lá, que não é nosso foco hoje, todo Chile foi muito moldado em seu ‘ethos’ pela Inglaterra.

Urbanisticamente falando Santiago é uma cidade britânica, pontilhada de conjuntinhos geminados, como já mostrei melhor em outra oportunidade.

centro-val4

Aqui e a direita, Centro de Valparaíso

Ainda assim, na composição racial Santiago é muito mais americana que Valparaíso.

Por isso quero dizer mais indígena. Na capital os ameríndios são 40% do total de pessoas, mais ou menos.

O litoral é mais branco no geral, ali os descendentes de americanos nativos são cerca de um terço.

E mais inglês em particular, na Grande Valparaíso nota-se mais que em Santiago os resquícios da cultura britânica levada pelos marinheiros inglesescentro2-val

Em compensação, urbanisticamente Valpo é América pura, é 100% americana da corpo e alma, tomada que é por centenas de favelas que se empilham por seus morros.

………

clube palestino-santComentemos as imagens (clique sobre que elas aumentam).

Lembre-se, nem sempre a descrição corresponde a foto que está mais perto, busque sempre pela legenda.

…………ass. moradores-vinha

Acima: Clube Palestino.

Aqui é a sede social, num bairro de classe média-alta entre o Centro e a Zona Norte de Santiago, ao pé do morro São Cristóvão.

zona oeste

Zona Oeste de Santiago

Eles têm um time de futebol, fui ver uma partida dessa equipe no estádio, em Valparaíso.

……….

Direita: Associação de moradores do bairro Britânica, em Vinha do Mar, Grande Valparaíso.

Eu fiquei hospedado no ‘Bairro dos Ingleses’, no município de Valparaíso. cohab - vinha4

Tudo isso mostra o quão arraigada é a presença dos súditos da rainha Elizabete no litoral do Chile.

…………

cohab - vinhaTem mais. Visitamos (a pé) uma cohab no alto do morro em Vinha do Mar.

Não é perto da ‘Britânica’, vista acima. Pois a Britânica é no pé do morro, próximo ao Centro, ainda na parte plana da cidade. cohab - vinha1

A cohab que nós fomos é, ao contrário, na Cidade Alta, no alto da montanha.

A associação de moradores (direita) chama-se ‘John Neary’, mais um britânico evidentemente.

passarinhos zona oeste

Zona Oeste de Santiago

Mas não para por aí. Fomos em dois conjuntos, vizinhos.

O primeiro é de sobrados geminados, como visto nas fotos ao lado.

Se você conhece a periferia das cidades do Reino Unido e da Irlanda (ainda que só por fotos e filmes, como é meu caso) sabe que o cenário é idêntico, sem tirar nem pôr.

Abaixo mais cenas da cohab de sobradinhos em Vinha.

porto de val

Em outra escala, a avenida que margeia o Porto de Valparaíso.

Um cara ergueu a parte de cima do sobrado de madeira.

Ficando misto, pois o andar de baixo é alvenaria. 

Essa hibridização de modais é muito comum na periferia do Chile.

Verão mais exemplos nessa outra postagem.

Voltando a cohab de Vinha, veja a vista que os moradores têm:

cohab - vinha2cohab - vinha3cohab - vinha5

cohab sem muros - vinhaE depois fomos, logo ao lado, a uma cohab de prédios baixos, os pombais.

Iguais as milhares que há nas periferias das cidades brasileiras.

Mas com uma diferença fundamental: ela ainda não é cercada.

Qualquer um pode entrar e passear por seu pátio, estacionamento, parquinho. Fica no alto do morro, e tem uma praça com belo mirante.cohab sem muros1 - vinha

E de fato foi o que fizemos. Foi uma volta no tempo. Até o começo dos anos 90 os prédios no Brasil (em Curitiba pelo menos) não tinham grades.

Você podia fazer exatamente isso que fizemos no Chile, usufruir das áreas comuns do condomínio mesmo sem ser morador, e sem ser convidado de nenhum morador.

praca - cohab - vinhaMas atenção: a imensa maioria dos edifícios no Chile é cercada, e muitíssimo bem cercada.

Mando muitas fotos em outra mensagem:

Seja de classe média ou no subúrbio 99% dos prédios desse país tem muros e cercas altas e afiadas a protegê-los.

……….

madeira z-leste

Casa de madeira na Zona Leste de Santiago.

Não pensa que o Chile é um oásis de tranquilidade porque esse está muitíssimo longe de ser o caso.

Em Santiago, em Valparaíso e mesmo na própria Vinha do Mar em todos os outros conjuntos há muros e portaria.

E só entra quem for devidamente autorizado. Esse aberto é a exceção de confirma a regra.

rodoviaria-sant……………

Vamos ver agora a Rodoviária Central de Santiago.

Como já disse em outra mensagem, são duas na cidade:rodoviaria-sant2

A Central, que é a que foi fotografada aqui. Dali saem ônibus pra todo Chile e pros países vizinhos americanos.

Mais uma linha pro Aeroporto, feita por 2 viações, uma delas têm aqueles busos dois andares.

E a há a Rodoviárias “dos Passarinhos” na Zona Oeste.

aeroporto-rodoviariaTem esse nome porque fica na avenida de mesmo nome. Todas as linhas partem da Estação Central. Todas, sem exceção.

Mas as linhas que saem da cidade pelo oeste fazem uma segunda parada nos Passarinhos. rodoviaria-sant1

Assim quem é da região não precisa ir ao Centro, embarca ali mesmo.

Isso vale pros busões que seguem rumo ao litoral e também o que vai pro aeroporto.

onibus chines no chileTraçando um paralelo com São Paulo, é como se as linhas pra Baixada Santista partissem do Tietê.

E cruzassem a capital pelas Marginais.

E parassem no Jabaquara antes de pegarem a Imigrantes/Anchieta.

fuscas-vinha

Coleção de Fuscas em Vinha do Mar. Ao lado um micro urbano da Grande Valparaíso.

Não é assim que acontece no caso paulista, os busos saem direto do Jabaquara, se você for ao Tietê querendo ir pra praia perderá a viagem.

No Chile é diferente, você pode embarcar em qualquer uma das rodoviárias.

Essa mamata é pra poucas linhas, a maioria delas é só na Central. Mas pra ir pra praia é possível.

……….

interior do chile

Pequena cidade no interior do Chile, não sei o nome, fotografei do busão em movimento.

As duas maiores viações do Chile são a Tur Bus, com sua frota verde clarinho, e a Pullman Bus, que pinta os ônibus de …, de …., ah sei lá como dizer.

As Mulheres são melhores pra definir tons de cores.

Como eu sou Homem, vou simplificar:

É da cor que vocês estão vendo na foto acima, meio vermelho, meio bege, sei lá, é isso que você vê na foto, repito. 

……………

vinha4

Orla de Vinha do Mar

Detalhes: primeiro, buso Zhong Tong, fabricação chinesa óbvio.

Na República Dominicana também fui da capital ao litoral em ônibus chinês. O mundo está mudando.

De volta ao Chile, os rodoviários são chineses e brasileiros.

E, segundo, assim que você adentra no veículo vê uma placa no banheiro: “Exclusivo pra urinar”. Ou seja, fazer o ‘número 2’ a bordo nem pensar.

vinha - interior do chileSe você estiver apurado e necessitar, é pra avisar o motorista que ele para num posto. Me informaram que na Argentina é exatamente igual.

…………vinha - interior do chile3

Além daquela cidadezinha que não sei o nome mostrada acima, fotografei diversas vinhas no caminho entre a capital e o litoral.

Não por acaso o ‘Guarujá Chileno’ chama-se ‘Vinha do Mar’. Eu traduzo tudo, vocês sabem. ‘Vinha’ é exatamente originada de ‘vinho’, e não do verbo ‘vir’.

passeio a cavalo-vinha……………

Esquerda: passeio de carroça nas áreas turísticas de Vinha.

No Brasil não temos esse costume. Mas em diversos países é comum.

patriotismo valpo

O chileno é um povo hiper-nacionalista. Veja essa favela em Valparaíso, as casas caindo no barranco. Mas a bandeira está ali, orgulhosa.

Se você já foi a Nova Iorque-EUA, ou viu filmes dessa cidade, sabe que essas carroças existem as centenas no Parque Central.

Bem, eu fui a Nova Iorque, fui ao Parque Central, vi as carroças, mas lá não andei nelas. No Chile, igualmente, eu apenas observei, sem utilizar.

Mas em Acapulco-México eu andei. Foi uma experiência interessante.

…………

Digo, andar de carroça não é novidade pra mim.

bandeiras na favela - stgo

Na capital é o mesmo. Barraco miserável em Santiago. Com um pavilhão pátrio em cada lado do portão, pra guardar bem a passagem.

Meus sogros são agricultores, e moram até hoje num pequeno sítio no interior do Paraná.

Então já muitas vezes me locomovi em veículos de tração animal.

Mas dentro da cidade, como uma coisa turística, eu vi nos EUA e Chile mas não usei, e no México vi e usei.

…………..

Em Vinha do Mar alguns bairros têm as ruas numeradas, tipo “Rua 1 Oeste”, a seguinte é a 2, etc.

Como em Nova Iorque, mas adiciona-se após o numeral a posição geográfica em relação ao passagem-stgoCentro: Norte, Leste, etc.

Já em Santiago, na periferia, há uma avenida principal.

As transversais, as vias locais, ou são numeradas, ou repetem o nome da principal mais um número ou letra.

passagem-stgo1Exemplificando é mais fácil entender. A principal da vila é a Rua Camarões. A ‘Passagem nº 1′ é a primeira transversal depois obviamente vem a 2.

Se surgir mais uma rua entre ambas vira a ‘Transversal 1 1/2.’. Isso mesmo. Transversal ‘Um e meio’.

………..beira-mar ruas numeradas vinha

Acima, a Av. José Arrieta. As transversais têm o mesmo nome, vai subindo aquelas letras embaixo.

A próxima transversal leva a identificação E, F, G. E assim vai.

alto-valpo

Valparaíso

A direita a Av. Peru, a beira-mar de Vinha. Cruzando com a “Rua 6 Norte“.

………….

Em outras mensagens já vimos a favela que há no morro São Cristóvão, entre o Centro e a Zona Norte, uma das poucas favelas de toda Grande Santiago.

Então abaixo cenas do entorno não-favelizado da mesma montanha. Clique sobre pra ampliar.

terminal zona oeste

Terminal urbano na Zona Oeste de Santiago.

1) O São Cristóvão visto bem do Centrão.

2) Estamos nos aproximando dele, foto tirada ao sopé no Centro.

Um bairro boêmio e de classe média-baixa, cheio de bares, repúblicas de estudantes e cortiços, parecido com a Lapa-RJ.

3 e 4) Estou contornando-o. Aqui já é uma região de classe média-alta, onde fica a sede do Clube Palestino, cuja foto vemos no topo da página. No comecinho da Zona Norte, ainda perto do Centro.

centro - s. cristovaocentro monte s. cristovaozona norte - morro s. cristovaozona norte

suburbios oeste-sant

Subúrbios a moda estadunidense no extremo Oeste da Grande Santiago, já fora da cidade.

………….

Agora vejam como é o subúrbio da Zona Norte, também no pé do morro mas já bem distante do Centro, no fim da montanha.

1) Bairro de classe média logo na descida da ladeira.

2) Uma região bem mais humilde que há logo depois. As ruas sempre de cimento.

Aquelas casas simples, de alvenaria, com saída pra rua, são a periferia típica do Chile, e também da Argentina.

zona sul area industrial

Zona Sul de Santiago, uma área industrial.

3 e 4) Uma avenida comercial nas redondezas. Sempre as montanhas ao fundo, é a paisagem normal em Santiago.

Esse não é o monte São Cristóvão, que está a minhas costas, e nem os Andes, que são longe dali. É uma outra cadeia que emoldura a cidade no sentido boreal.

5) Já estou chegando no Centro onde há esses prédios.

E 6), estou de volta a Zona Central. Logo depois que captei essa tomada cruzei o Rio Mapocho, ou seja o coração da cidade.

zona norte pe do morrozona norte1zona norte3zona norte2zona norte4zona norte-central

…………….zona leste

A Zona Leste de Santiago, porção elitizada da capital chilena.

Mas que também tem casas mais humildes, como a vista a direita.

vida no morro valpo

Valparaíso, a “vida no morro”.

Agora a sequência horizontal abaixo:

Avenida ‘Diagonal Oriente’. 

Como o nome indica, corta toda a Z/L, de sua porção extrema (1ª foto) que já fica na subida da Cordilheira até o Centrão (2ª).

Tem fluxo reversível, de manhã é periferia-Centro, inverte no pico da tarde.

diagonal oriente-suburbiozona leste-centralclasse alta zl4classe alta zl2classe alta zl

…………….

Zona Central de Santiago:

zona central-stgocentro-stgo1centro-sant

……………..

Passamos pro Centro de Valparaíso. Clique sobre pra ampliar.

centro1-valcentro-valcentro-val2centro-val3valpo-centrocentro-val5centro-val6lata - centro - valhercobolus centro - valcentro-val7

fusca centro valRepare na antepenúltima tomada um prédio de zinco, modal muito comum no Chile.

E na penúltima um cartaz da Gnose (Doutrina muito forte na Colômbia) alerta pra chegada de ‘Hercóbolus’:

Um ‘planeta intruso’ ao sistema solar que segundo muitos creem provocará grandes desequilíbrios na Terra. É esperar pra ver . . .

Já fotografei o mesmo cartaz em Joinville, no Brasil.madeira-valpo

Voltando aos temas terrenos, flagrei mais um guerreiro Fuca, também no Centrão de Valpo.

………

Periferia de Valparaíso, morro no bairro São Roque. Começando a direita por essa casa de madeira.

Alguém pintou no muro o nome da rua, e fez questão de inclusive indicar que é mão única, como nas placas oficiais. Depois uma via de terra, uma das poucas do Chile que não foram ainda cimentadas.

placa de rua valpoterra-valpovalpovalpo1valpo2valpo3

…….

E fechamos com a orla de Vinha do Mar.

vinha1vinha2vinha3

Que Deus Ilumine ao Chile, e a toda humanidade.

“Deus proverá”

Anúncios

Um comentário sobre ““Zona de Bomba”????? Calma, são só os bombeiros no Chile

  1. Getulio disse:

    Gostei bastante de seu roteiro (fotos e descrição) sobre o Chile. Conheci Santiago/Valparaiso/Vina Del Mar – achei todas fantásticas. Realmente o povo Chileno é muito patriota. Parabens por seu trabalho. Sou de Curitiba/Paraná/Brasil, mas adoraria morar em Santiago do Chile.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s