na África do Sul: até no camburão me puseram

Nossa bandeira na Cidade do Cabo. Atualizei a matéria “Pátria Amada”, em que eu mostra exatamente nosso pavilhão nos 4 cantos da América, e agora na África. Também fiz fotos no Centro de Joanesburgo e no Porto de Durbã, confira.

Como vocês já sabem, estive na África do Sul.

Conheci as 3 maiores cidades do país, Joanesburgo, Cidade do Cabo e Durbã, e mais a capital Pretória.

Digo, conheci 2 capitais do país, mas não conheci todas.

Sim, é verdade. Por incrível que pareça a África do Sul tem nada menos que 3 capitais, uma pra cada esfera de governo.

O palácio presidencial é em Pretória, o parlamento na Cidade do Cabo. Nessas duas eu fui.

A suprema corte de justiça, entretanto, é na pequena cidade de Bloemfontein (‘Fonte Azul’ em africaner, dialeto do holandês falado lá). Ali não deu pra eu ir.

Deixando a política e passando pra polícia, na África do Sul eu usei todos os tipos de transporte, como sempre faço.

Trens, ônibus, vans e táxis. Agora, lá na África pela 1ª vez andei em dois modais inéditos, o Uber (lá chamado ‘Uba’ pelo povão que não consegue pronunciar esse ‘r’ no final), que eu nunca havia usado nem no Brasil nem em outros países, e, o mais incrível:

Eu andei num camburão da polícia. Sim, na parte de trás, na gaiola destinada aos presos.

Dia 22/04, caminhando pelo Centro e orla de Durbã (que é no Oceano Índico), ao passar em frente a uma delegacia fotografei uma viatura, coisa que eu nunca havia feito em lugar nenhum.

Também em Durbã, no Mercado Indiano: “Exterminador de Sogra”!!!! Tá bom pra ti ou quer mais????????????

Foi um aviso. Mal sabia eu que dois dias depois eu conheceria uma delas por dentro. Veja a mesma cortininha azul na janela, vista pelo exterior e depois pelo interior.

Não é brincadeira, montagem e nem essa imagem foi puxada da internet. Fui eu mesmo quem tirei, trancado na ‘caçapa’ da polícia.

Mas eu não fui preso. Na verdade os policiais estavam me ajudando, da forma que eles entenderam ser melhor.

E por isso me deram uma carona pra me tirar daquele bairro, depois conto com todos os detalhes. Ainda assim, me foi uma experiência inédita conhecer um camburão, nunca havia entrado em uma viatura de polícia.

Eu dentro do camburão em Durbã – não é brincadeira nem montagem!!

Por aí vocês veem o que eu enfrentei. A África do Sul é violenta e perigosa, em muitas de suas quebradas mais esquecidas.

Foi perigoso, corri risco real de vida pra poder lhes trazer essas histórias, e as imagens acima dão uma pálida ideia do que aconteceu. Mas …. se não for perigoso, não é jornalismo.

Se não fosse pra conhecer a África de Verdade, os bairros da barra-pesada em que moram a maioria dos negros, se fosse pra ficar só no ar-condicionado de hotéis, ‘shoppings’, beira-mar elegante com seus restaurantes de luxo e táxis Mercedes, eu não teria cruzado o Oceano.

Agora, óbvio que a África do Sul não é só periferia. Ao contrário, a Cidade do Cabo é lindíssima, espetacular. 

E nós vamos abrir as matérias da Série (sem contar um desenho que já está publicado) exatamente nessa deslumbrante ‘Riviera do Cabo’. É de tirar o fôlego, é indescritível de tão bonito, e acima já têm um pequeno aperitivo. Agora confira a galeria toda, já subi o ensaio fotográfico completo.

Fique ligado. A Série sobre a África está vindo aí; ademais a Série sobre a Argentina apenas começou, a maior parte ainda está por ser produzida. Você não perde por esperar!

Deus proverá

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s