Perfume de Mulher


Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 18 de março de 2017

BUENOS AIRES – Maurílio e Marília na Argentina. Dançando tango, é claro.

Obviamente, emprestei nome da mensagem de um filme muito conhecido.

Como sabem, em cuja uma das cenas mais famosas o Homem, que é cego, tira uma moça pra dançarem tango no meio do salão.

Na primeira matéria da série sobre a Argentina, fotografei um casal fazendo uma performance pública na Feira da São Telmo, Centro Velho da capital

Agora voltemos aos desenhos: ainda por conta do título, vamos ver Marília se arrumando pra essa noite. Pra estar bem perfumada na hora que seus corpos se unirem na dança.

…….

Passamos pra uma outra história, o casal de pombinhos andando de braços dados na rua.

Marília não está grávida. É que ela é uma Mulher muito fofinha, digamos assim.

No passado, a sociedade era muito machista, então o padrão de beleza era muito rigoroso com sexo feminino.

Nos Homens, era aceito com mais naturalidade um pouco de ‘barriga de cerveja’.

Mas as moças tinham que ter o corpo parecido com a Gisele Bündchen pra não serem ostracizadas.

Assim como era tabu uma Mulher ficar com um Homem muitos anos mais novo, enquanto que o contrário era visto com naturalidade.

A situação se alterou bastante. É claro que ainda estamos muito longe do ideal, mas os 2 tabus se amainaram consideravelmente.

Já que trata do mesmo tema, insiro desenho dos arquivos. Mais uma vez, Marília sendo rodopiada na pista de dança, nos braços de Maurílio. Essa postagem, que se chama ‘Baila Comigo’, foi publicada em dezembro de 2016.

Agora está ficando mais frequente vermos viúvas ou divorciadas com companheiros de 10, 15 ou 20 anos mais jovens que elas. Como os Homens sempre fizeram, alias.

Além disso, os Homens começam a descobrir o valor das ‘Grandes Mulheres’. Nada mais natural.

Uma garota pode ser charmosa, feminina, cativante, e ainda assim estar um pouco distante do que a mídia afirma que é o padrão “ideal”, o único aceitável, pra todas as pessoas.

As pessoas são diferentes, logo os corpos serão diferentes. É preciso centrar mais na essência e não somente na aparência.

Refletindo essa tendência, desenhei essa Marília. Ela é totalmente feminina, bastante vaidosa e por isso toda produzida:

De camiseta transparente e enfeitada com pedras brilhantes, brincos enormes e uma saia rodada vermelha que combina com a ‘lingerie’, que está visível através de sua blusinha branca.

Muitíssimo bem acompanhada de seu Amor Maurílio.

Veja que ele, ao contrário, tem os músculos bastante definidos.

Mas isso não impede que ele goste e deseje sua esposa do jeito que ela é.

Os opostos se atraem, quem sabe.

Sinal dos tempos . . .

………

Mensagem levantada pra rede do Centro da Cidade de Buenos Aires, Argentina.

“Deus proverá”

Gênese Revisitada

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 7 de março de 2017

Na configuração atual do planeta, as partes que o Homem e a Mulher habitam a mais tempo são a África, China e Índia.

São dessa forma a Gênese da Grande Epopeia Humana na Terra, daí o título.

Do Continente Negro e do Extremo Oriente nos ocupamos em outros momentos. Aqui, nosso foco é a Velha-Mãe Índia.

Os povos que hoje povoam a Europa (e portanto cuja cultura é predominante a nível global, nesse ciclo) antes de chegar ali um dia passaram pela Índia, muitos e muitos milênios atrás.

E é por isso que na linguística se fala em ramo de idiomas Indo-Europeu.

Assim vamos ver Marília e Maurílio em suas voltas pela Índia.

Acima ‘Marília, a Indiana’. Em frente ao templo Taj Mahal.

E a direita Maurílio como um Iniciado Hundu. Ele está tão avançado na Meditação do Rig-Veda que está conseguindo até levitar. “Mais Leve que o Ar”.

Agora Marília montada num elefante. Ela e o animal estão ricamente paramentados a caráter pra algum desfile tradicional indiano.

Cheios de adereços florais. Não apenas Marília está maquiada, mas o paquiderme igualmente.

……….

Voltemos a nossa Pátria Amada. Vamos ver nosso casal de pombinhos praticando – separadamente – a Ioga:

Essa Arte Milenar de Expansão de Consciência que veio da Índia.

Como aqui eles são brasileiros e estão em casa, ambos estão vestidos com roupas ocidentais, aquelas que nós usamos no nosso dia-a-dia:

Ela de calça de ginástica, aquelas justas mas bastante flexíveis, e ele veste bermuda.

Bem, o Maurílio Indiano também está de bermuda, alias quem sabe a mesma, de cor cinza.

Mas lá ele está somente de bermuda e não faz mais a barba a anos. Aqui ele se barbeia e está de camiseta.

O Maurílio brasileiro frequenta uma academia, praticando a postura ‘Invertida’. Enquanto que Marília está no gramado, numa aula pública e gratuita de ioga, passando o domingo no parque.

………..

Por fim, repito em escala maior os retratos de Marília em frente ao Taj Mahal pra que possamos reparar nos detalhes. 

vestida-a-caraterE detalhes é que esses desenhos mais têm. Tanto o templo quanto a calça dela são amplamente ornamentados.

Alias, pela imagem ser comprida eu tive que fazer uma colagem pra podermos ver as pernas sem que máquina perdesse o foco do seu rosto.

Namastê.

Hare Rama, Hare Sita.

Em português: “Louvado é Deus Pai e Mãe”.

OM.

a Mulher do Sul

a-fazendeira

A Fazendeira.

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 2 de janeiro de 2017

Vamos Abrir os Trabalhos do ano de 17. Dois desenhos inéditos e uma sequência que seguiu (por emeio) em 2014.

Começo pelos dois desenhos inéditos, produzidos portanto em janeiro de 2017.

Novamente vemos uma encarnação anterior de Marília: ela era fazendeira – falando mais apropriadamente, era esposa de um grande fazendeiro. Além da propriedade rural no interior, seu marido era também um ‘barão’.

Ele era um Homem importante igualmente na cidade, ocupando o cargo de  senador ou algo assim, um coronel ou caudilho influente na política regional. E eles viviam, junto com os filhos, numa fazenda cujo casarão principal era um sobrado de madeira, retratado acima.

prontinha-pra-sair

Pronta pra sair, Marília parece uma bonequinha. Com esse vestido cheio de rendas e babados, amarelo e laranja com os laços e fitas em rosa. E mais a sombrinha, pra não ficar ensopada de suor com tantas camadas de roupa. As luvas alvas são um charme a parte.

Obviamente há uma influência alemã na arquitetura, pois eles moravam no Sul do Brasil.

Não veja com as lentes de hoje, em que a madeira só é comum na periferia, e mesmo ali já se extinguiu em boa parte do país.

Mais de um século atrás, uma residência em matéria-prima vegetal podia ser de alto padrão, especialmente se fosse de 2 andares, como é o caso aqui.

A Casa-Grande da fazenda em que viviam Marília e sua família lembra um pouco as que existem até hoje no Leste Europeu.

De volta ao Brasil, eu já desenhei uma Marília camponesa, mas aquela não era rica e de família influente.

Essa daqui, ao contrário, era da elite rural do Brasil do começo do século 20. Ela está preparada pra ir acompanhar seu marido a cidade.

Também já desenhei Marília e suas 2 irmãs adolescentes crescendo numa casa de madeira no interior do Sul do Brasil. Quem sabe as 3 meninas são as netas dessa Marília fazendeira que vemos hoje, né?

no coração do brasil: goiânia, goiás

transurbAinda na ‘Máquina do Tempo‘, mas agora vamos avançar rapidamente pro fim do século 20:

Maurílio em frente um saudoso Monobloco. Da não menos saudosa Transurb. Se tudo fosse pouco, na super-clássica padronização ‘das Flechas’.

É claro que só poderemos estar em Goiânia, do fim dos anos 70 ao começo dos 90. goiania-goias

Maurílio esteve em Brasília-DF, esses dias. Aproveitando que é ali do lado, ele também passou em Goiás.

A linha vai pro Jardim Curitiba. Achei curioso estar do outro lado do Brasil e ver um bairro homenageando a cidade que eu moro.

usando-o-secadorVoltando a Goiânia, o Jd. Curitiba é um bairro de periferia no que lá eles chamam de ‘Zona Noroeste’. Mas eu diria que é Zona Norte.

Como eu expliquei na postagem sobre BH-MG, respeito os costumes nativos mas eu só divido as cidades em Zonas Central, Leste, Sul, Oeste e Norte.

…………..

Vamos agora abrir o baú do arquivo.

Reproduzo uma HQ que foi publicada em emeio em 20 de agosto de 2014.

a “guerra dos sexos”:

os homens não entendem a ‘via sacra feminina’

Maurílio e Marília vão sair juntos. uma-hora-cuidando-de-cabelo-haja-paciencia

Ele tomou banho, fez a barba e pegou a 1ª camiseta que estava mais por cima do armário.

Tempo que Maurílio levou pra se arrumar, tudo somado: aproximadamente 15 minutos.

Marília leva mais tempo pra se arrumar.

oh-duvida-cruelBeeeeeem mais tempo.

É isso que vamos ver agora.

Acima da manchete nós já observamos ela usando o secador.

Pois hoje é ‘dia de lavar o cabelo’.

Pra conversa começar:de-preto-por-baixo-violeta-por-cima

Maurílio nem sequer desconfia que ela, e a maioria das Mulheres, tem uma escala, em que dias lava, em que dias não.

Depois, a direita acima, é hora de pentear o cabelo.

Enquanto faz isso Marília prossegue em sua ‘Filosofia Feminina‘.

Só no banho e cuidar do cabelo já se foi quase uma hora.

raspando-minhas-pernasEnquanto isso, Maurílio ouve música na sala, bem sossegado….

Depois  ela vai escolher o vestido:

“Óh, meu Deus, que dúvida crueeeeeeelllll“.

Mas ao se ver no espelho, ela não teve dúvidas que seria o violeta.

Até porque ela já está de preto por baixo. raspando-os-bracos-e-acalmando-ele

Mas isso ele só vai descobrir na volta!!!

………..

Pronto, pelo menos ela já está vestida.

batom-bem-vermelho-que-hoje-eu-vou-ar-ra-sarMas ainda vem aquela que pra muitas Mulheres é a mais chata das ‘tarefas femininas’:

A depilação.

Com cuidado, Marília raspa as pernas e depois o braço.

E é chata mesmo.

Tanto que no inverno Marília se depila menos, como todas as garotas. abram-alas-la-vou-eu

Mas agora está quente.

Assim ela está ali, resignada, de gilete na mão.

Foi aí que, inadvertidamente, Maurílio cutucou a onça com a vara, curta, apressando-a.

Pra quê? Ela ficou mesmo uma fera.

E deu uns gritos pra ele se acalmar.

me-exibindo-pra-meu-maridinho“Haja Amor!!!”

Foi o que ela pôde pensar, de forma irônica.

A seguir ela passou batom.

E ‘voilá’:

Enfim taí Marília enfim pronta, de vestido tubinho e botas.maos-dadas-final-feliz

…………

Tempo total pra chegar nesse ponto: aproximadamente 2 horas.

Portanto 8 vezes mais que seu marido.

E por falar nele:

Aí Marília desceu as escadas pra encontrá-lo.

E exibiu o resultado de tanto esforço.

vestida-pra-matarOu seja, ela mesma, toda arrumada, pronta pra sair.

Perguntou se valeu a pena esperar.

Ele respondeu.

Lógico que sim, querida.

Valeu cada minuto, você está deslumbrante.”

Ainda fez uma auto-crítica:

“Desculpe ter te apressado.olhares-que-se-cruzam

É fato, os Homens ainda têm que caminhar muito pra Entender o Universo Feminino”.

………

Final Feliz.

Isso que é Amor Maior, não? E dessa vez sem ironias.

“Deus proverá”

é Primavera em Curitiba

flores-jd-schaffer

Jardim Schaffer, divisa entre Vista Alegre e Pilarzinho (Zonas Oeste/Norte).

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro.

Levantado pra rede em 27 de dezembro de 2016

A 1ª parte composta de material inédito.

A 2ª foi publicada (em emeio) em novembro de 2013.

(Todas as postagens de ‘flores’ são dedicadas as Mulheres)

Linha Turismo buso 2-and ctba verde descoberto conversível rodo-ar mercês busscar z/n abranches pilarzinho vidro preto eletrônico

Ônibus-2-Andares da Linha Turismo do outro lado do Pilarzinho, na divisa com o Abranches.

Querida.

Mais uma vez vamos fazer uma mescla.

E ver imagens captadas em tempos e lugares diferentes.

Em 17 dezembro de 2016 (ainda na primavera, portanto, a 4 dias do fim dela), eu andei mais uma vez na Linha Turismo.

Já joguei a matéria completa desse rolê no ar.

Linha Turismo Parques mapa ctba desenho divisão zonas página internet urbs itinerário roteiro traçadoAqui, como Abertura do Trabalho vamos vendo algumas flores que eu fotografei pelo caminho.

Portanto obviamente essa é a parte inédita, produzida em no último mês do ano de 2016.flor-sf

Coloco o mapa da Linha Turismo, que como notam se concentra nas Zonas Oeste, Norte e Central.

Na Zona Leste ela entra rapidamente e a Sul ela ignorou por completo.

Considerações sócio-políticas a parte, aqui o que nos importa são as flores que adornam a cidade.

flor-2-schafferA direita a ‘Via Veneto’ (Av. Manoel Ribas), nos fundos do Parque Barigüi, bairro das Mercês, quase no Rio Barigüi que nomeia o Parque.

O curso d’água também divide as Mercês do bairro Cascatinha.

Portanto aqui estamos entre as Zonas Oeste e Central.

Acima essa árvore toda enfeitada de rosa é novamente no Jardim Schaffer.flores-centro-civico

Veja mais flores do Pilarzinho, nas suas 2 pontas, tanto a divisa com a Vista Alegre quanto, do outro lado, com o Abranches e São Lourenço.

flor-schafferJá o canteiro a direita é na Av. Cândido de Abreu, no Centro Cívico.

Bem em frente ao ponto em que o Rio Belém passa a ser subterrâneo pra cruzar o Centro.

Há outra matéria no ar, em que mostro as flores do Centro Cívico e dos vizinhos Bom Retiro e Ahú.marília loira sorridente feliz cabelo crespo tiara lacinho rosa laço colar branco pulseiras bijuteria vestido Regando Flores botinhas botas

E a esquerda encerramos as fotos tiradas em 2016 com outro canteiro, de volta ao mesmo Jd. Schaffer que fica entre o Pilarzinho e V. Alegre.

……………..

Ao lado uma gravura publicada em outubro de 2014:

Marília regando um canteiro de flores, numa postagem que se chamou exatamente “É Primavera: as Flores Brotaram”.

curitiba-nov-13-3Eu acabo de ampliá-la, e agora além desse desenho há vários outros

Feito esse adendo, voltemos a ver fotos da cidade florida.

Vamos agora a um emeio publicado em 13/11/13:

é primavera em curitiba

curitiba-nov-13-1

Próximas 3: Rebouças, bairro ao lado do Prado Velho, também Zona Central.

A tomada acima é no bairro Prado Velho, Zona Central.

Na lateral daquele hospital psiquiátrico, quase na esquina da Av. Marechal Floriano.

Eu adoro essas árvores de copas amarelas.

Especialmente porque nessa época do ano elas despejam uma chuva de pétalas douradas sobre você!!!

curitiba-nov-13-6Numa manifestação de carinho que só a Mãe-Natureza sabe mesmo fazer.

Já recebi algumas dessas chuvas áureas exatamente dessa árvore que vemos na foto, e de suas irmãs que moram na mesma rua e mesmo bairro.curitiba-nov-13-2

…………….

Eu disse na legenda acima que as próximas 3 tomadas eram no Rebouças.

A que está legendada não resta qualquer dúvidas, aparece a placa da Rua Engenheiros Rebouças, que nomeia o bairro.

curitiba-nov-13-4

Próximas 2: Canal Belém.

Mas nas outras duas (o hibisco rosa a esquerda e essa vermelha a direita) eu não tenho certeza absoluta.

Creio que sim, minha nítida impressão é que as cenas foram capturadas nas transversais ou paralelas da Marechal, mas sempre bem próximas a essa avenida.

Já fiz também uma matéria fotografando as flores da Zona Central, com foco no Centrão, Alto da Glória, Juvevê, Água Verde, C. Cívico, Rebouças e Parolin.

curitiba-nov-13-5

Vamos a outra parte da cidade: o Canal Belém, que divide as Zonas Leste e Sul (primeiro Guabirotuba da V. Hauer, e depois Uberaba do Boqueirão).

A tomada acima e ao lado são dali. Há outra mensagem também sobre as flores belenenses, mescladas com as de Rio Branco do Sul, no extremo Norte da Grande Curitiba.

E logo abaixo fechamos de novo no Centrão, fotografando a outra Marechal, dessa vez a Marechal Deodoro. Além das matérias já ligadas acima, há outra em que eu mostro as flores do Centro.

curitiba-nov-13Misturadas com as da Zonas Leste (de novo o Belém e mais o Jardim Social) e Oeste (outras das Mercês, e seguindo pro Campina do Siqueira e Mossunguê).

Beijos em teu Coração de Mulher.

Que Deus a Ilumine Infinitamente.

Deus proverá.

Baila Comigo

danca-de-casalPor Maurílio Mendes, O Mensageiro

Subido pra rede em 3 de dezembro de 2016.

Publicado (em emeios) nos anos de 2012 e 2014, acrescido de material inédito.

Começamos por um desenho inédito a esquerda, produzido em dezembro de 2016.

Marília e Maurílio dançando no baile, ela sendo rodopiada nos braços dele.

Com roupa de gala.

a-mulher-impecavel

“A MULHER IMPECÁVEL” – Esse desenho é de janeiro de 2014, e não se relaciona com o texto. Marília tomando banho de banheira, e se preparando pra encontrar Maurílio. Seu Amado não lhe sai do Pensamento…

Ele está de sapato, terno e gravata.

Maurílio só usa terno e gravata em ocasiões muito especiais.

Marília não fica atrás, de vestido de noite brilhante e muita bijuteria:

O colar e seu cabelo voam longe conforme Maurílio a leva pra frente e pra trás, seguindo a música.

E de salto-alto, que ela também só usa em ocasiões especiais.

a camponesa

camponesaMais um inédito, portanto também de dezembro de 16:

Marília como uma Mulher simples do campo, que tira seu sustento da terra.

Segurando o bebê no colo.

Um de seus vários filhos, o mais novo da escadinha.

Marília nesse retrato está sem maquiagem e também sem bijuteria, exceto um brinco discreto.

Por conta disso, ela é uma moça simples, camponesa, e no dia-a-dia não se produz. sem-maquiagem

Só no dia que ela vai a cidade, ou a alguma festa, é que se pinta e capricha nos acessórios.

Do contrário, pra lidar com as tarefas como mãe e agricultora ela permanece ‘ao natural’.

Vejamos a direita em escala maior.

Discutindo a relação

sou-bela-mas-sou-feraGravura de julho de 2012.

Marília e Maurílio es se desentenderam por algum motivo, e estão discutindo.

Está saindo faísca da boca deles.

Mas a brabeza não dura muito.

Logo eles estão abraçadinhos de novo.abracadinhos

“Já passou”.

É só uma briguinha de casal, coisa corriqueira pela qual todo mundo passa.

Logo vem o ‘Final Feliz’.

Como diz a música: “as vezes te odeio por quase um segundo, depois te amo mais“….

…………

cheia de charme

cheia-de-charmeE encerramos com esse desenho de abril de 2014.

Marília sentada de pernas cruzadas num micro-vestido vermelho, ajeitando os cabelos.

Jogando charme, claro. Uma Energia hiper-feminina.

Coisa de Mulher. Você sabe como é.

………

Abaixo repito alguns desenhos em outra escala. Clique sobre pra ampliar.

final-felizbriga-de-casaldama-de-vermelho

“Deus proverá”

Histórico: eis a 1ª Marília

se-maquiando

Novembro de 2011: houveram outros antes, mas esse é o desenho que marca oficialmente o nascimento de Marília. Se maquiando, é claro, pois ela é uma garota muito vaidosa.

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Levantado pra página em 19 de novembro de 2016

Publicado (em emeio) em 5 de janeiro de 2012

Desenhado em 2010 e 2011

Esse Trabalho de desenhar Marília acaba de completar 5 Anos de Sucesso.

Na verdade, como eu já expliquei antes, são 6 anos e pouco:

Eu comecei a retratar as Mulheres um pouco antes, no segundo semestre de 2010.ajeitando-o-cabelo

Mas a data em que o Trabalho ganhou escopo, método, nome e histamina foi em novembro de 2011.

De forma que essa ficou como data oficial da ‘fundação’.

…………

A gravura acima, de Marília passando batom, é exatamente a Gênese Oficial dela.

E por isso eu fiz questão de datar com o calendário.

Foi feito em novembro de 2011, como dito e está na folhinha. Mas o ‘1’ não se refere ao dia 1º de novembro.

se-exibindo

Marília ruiva grávida se arrumando.

E sim exatamente que esse o é primeiro desenho dessa nova fase:

O que foi escolhido pra anunciar de forma definitiva e oficial que esse ciclo havia alvorecido.

É o que ficou marcado como batismo, mas não é exatamente o primeiro desenho de Marília.

Há alguns outros do fim de 2010 e do ano de 2011 antes de novembro.

Aqui então nós vamos ver os desenhos do período pioneiro.

marília amiga mulheres estádio arquibancada camisa 12 internacional faixa bandeira pátria amada brasileira futebol torcida organizada ruiva morena mestiça vestido rosa bota jeans regata alcinha vermelha

A seguir ela com uma amiga no Beira-Rio. Nota: eu não torço pelo S. C. Internacional nem qualquer outro clube, e por isso me é indiferente retratar Marília torcedora de qualquer time. Já fiz Marília também apoiando o Flamengo, Fluminense e Criciúma, e mais o Independente Medelím da Colômbia.

……….

No começo eu ainda pegava o jeito, de forma que muitos traços saíam tortos.

Notam nas 3 gravuras acima por exemplo que eu não risquei o contorno do queixo.

Então parece que o pescoço está grudado a cabeça, sem uma divisão.

Rs…acontece, né? Tudo tem que começar um dia, e Marília começou assim.

Como existir é mais importante que ser perfeito, eu publico assim mesmo.

dancandoPor acreditar que esse resgate histórico da Trajetória de Marília tem maior relevância que a estética em si, concordam?

Sendo assim, vamos pôr no contexto, e narrar as historinhas que essas imagens se referem.

Apenas 3 desenhos aqui estão isolados, ou seja sozinhos, sem complemento:

O da Marília loira de blusinha amarela acima, o dela igualmente loira jogadora de futebol, e o da ruiva de vestido preto no ponto de ônibus, esses dois mais pra baixo na página.

Em todos os demais são dois desenhos da ‘mesma’ Marília, ela se arrumando pra sair (ou no caso acima dançando) e depois em companhia de alguém.namorando

Por exemplo: acima, Marília loira de vestido branco floral curtindo a noite na discoteca.  E ao lado a mesma Marília aos beijos e abraços com seu Amado Maurílio.

E que ‘abraço’, hein? O braço dele está desproporcionalmente comprido. Assim como o de Marília ruiva no vestido rosa está curtinho…Fazer o quê?

Voltando a figura deles se beijando, depois, em 2015, eu fiz mais uma historinha mostrando ela dançando e agarrada a Maurílio.

na-ruaPorém é mais completa, é a postagem que se chama “A Dama da Noite”: retrata desde eles combinando o encontro, ela se preparando, arrasando na pista, e o final feliz a dois.

…….

Similarmente, volte agora a primeira imagem no topo da página, a do ‘batismo’ oficial de Marília, em que ela passa batom.

O desenho a esquerda é a continuação dele, Marília  com uma amiga. Como notam elas estão em frente ao Metrô Capão Redondo, na Zona Sul de São Pauloprendendo-cabelo

Por isso ela está com o mesmo cabelo e blusa pretos, e o pingente com a sua inicial no pescoço.

Já desenhei outra Marília na Z/S de Sampa, mas num bairro bem diferente, o Brooklin.

De volta a gravura acima, outras ‘falhas nossas’: além de eu não ter desenhado o pescoço, Marília é muito mais alta que a porta da banca de revistas.

Que portanto ficou parecendo uma casinha de cachorro….rs. Assim ela teria que se abaixar muito pra entrar.

de-maos-dadasNuma cena que poderia fazer parte do filme “Quero Ser John Malkovich”….rs, tem que rir.

Além disso a amiga dela – vamos chamá-la de ‘Flávia’ – está com a saia por demais transparente.

Creio que nenhuma garota sairia tão vulnerável assim aos olhares alheios.

Peço desculpas as Mulheres por esse exagero, minha intenção foi homenageá-las, e jamais achincalhar.

…………com-o-namorado

Falemos agora das 2 figuras acima, de Marília morena de olhes azuis e vestidinho verde.

Primeiro prendendo os cabelos em maria-chiquinha, e assim, parecendo uma menininha, de mãos dadas a Maurílio.

‘Subindo’ um pouco a câmera (dir.): notamos que o casal está dessa vez em Curitiba.

jogando bola marília loira morena atleta futebol dividida uniforme amarelo vermelho branca verde camisa calção chuteira cabelo preso rabo cavalo lenço cabeçaPois a placa ao fundo aponta pra 3 bairros da capital do Paraná: Sítio Cercado (Zona Sul), Batel (Zona Central) e Cabral (Zona Norte).

Também na fase pioneira eu mostrei Marília jogando futebol, procurando colocar a Bola na Rede.

E fechamos com um retrato que eu adoro: Marília ruiva, de bijuteria imensa e tubinho tomara-que-caia ‘pretinho básico’ pegando ônibus em São Paulo.pegando-onibus

O ponto está decorado, como era nos anos 80, com o tri-color azul-&-branco da saudosa CMTC. Quando Jânio assumiu, pintou tanto os ônibus como os pontos de vermelho.

Veja uma foto da parada no Corredor Santo Amaro rubra, e um desenho em que Maurílio faz o mesmo gesto de Marília, e o totem de madeira já passou pelas pinceladas pra ficar avermelhado.

Que Deus Pai e Mãe Ilumine a todos.

“Ele-Ela proverá”

5 Anos de Sucesso

5-anos-de-sucessoPor Maurílio Mendes, O Mensageiro

Levantado pra rede em 12 de novembro de 2016

Publicado (em emeios) em 2013 e 2014, acrescido de material inédito.

Todas as postagens de Marília são dedicadas as Mulheres.

Olá querida, tudo bem?

A imagem inédita, feita em novembro de 2016, é a que está ao lado:

rapunzel-do-seculo-21

“JOGA TEUS CABELOS, RAPUNZEL” janeiro de 2014. A partir desse, vou enxertar alguns desenhos antigos, que marcaram a história de Marília nesses 5 anos. Aqui ela também loira e de madeixas enormes, mas dessa vez os fios são lisos. Está tão grande que ela mesma corta. Quem sabe ela vai vender os fios pra fazer uma peruca?

Comemorando os 5 anos desse Trabalho de desenhar ‘Marília’. Por isso ela com a mão cheia aberta, exibindo suas unhas coloridas

……….

Na verdade são 6 anos e pouco, eu comecei a retratar as Mulheres um pouco antes, no segundo semestre de 2010.

Mas a data em que o Trabalho ganhou escopo, método, nome e histamina foi em novembro de 2011, De forma que essa ficou como data oficial da ‘fundação’.

Da mesma maneira que Curitiba já era habitada por Homens e Mulheres séculos antes dos europeus aportarem.

Mas o ano que foi ‘consagrado’ como o do início da cidade é 1693. Feito esse paralelo fica fácil entender. Assim aí está:

levanta-a-saia

HOJE EU NÃO PENSO EM NADA, EU SÓ PENSO NELE junho de 2013. Muito barro no chão. Por isso Marília tem que fazer o mais feminino dos gestos: levantar a barra da saia pra pode caminhar. Mas ela não se importa, pois está indo ver seu Amor Maurílio, nada a incomoda. Ela está de ‘lingerie’ vermelha, pra noite pegar fogo!

Marília exibindo nos dedos sua ‘idade’, como ela já havia feito quando completou 3 anos sendo desenhada.

Escolhi realçar a parte mais bonita da Mulher: o cabelo comprido, é claro.

Aqui vemos Marília com esses enormes cachos dourados que o vento carrega.

Dá trabalho, e como: tem que fazer a escala entre o dia de lavar e não lavar, secar, pentear, etc. Você sabe como é.

Mas vale a pena: ter essa coisa linda, linda, linda emoldurando o rosto feminino é a própria Magia, é algo Divino, que Transcende qualquer palavra.

E por isso a cena foi marcada pra marcar a meia-década de Marília.

“SOU BAIXINHA MAS FAÇO SUCESSO”

A direita, em desenho de fevereiro de 2014: pensamentos-femininos

Marília se ajeitando pra sair. Dessa vez, ela é uma Mulher “filé-mignon”, 1,55 m e 50 kg.

Mas o tamanho diminuto não se traduz numa personalidade retraída, bem ao contrário, é uma “baixinha arretada”.

Ela está ocupada em seus Pensamentos Femininos, filosofando sobre o brinco e a blusa, nesse último caso ganha de presente de seu Amor.

morena-de-olho-verdeAo lado mais uma Marília morena, desenhada em outubro de 2013.

………

Na sequência horizontal abaixo, repito os desenhos em escala maior.

Clique sobre as figuras pra ampliá-las, o mesmo vale pra todas, sempre.

bate-coracaobate-coracao-1tou-me-ajeitando

Que Deus a Ilumine Eternamente.

Beijos em teu Coração de Mulher

“Deus proverá”

Paz & Amor

paz-e-amorPor Maurílio Mendes, O Mensageiro

Levantado pra rede em 25 de outubro de 2016

Um desenho inédito, e os demais publicados (em emeio) nos anos de 2013 e 14

Começamos pelo inédito ao lado, produzido em outubro de 2016.

Maurílio e Marília namorando, mais uma vez.

Ela de camisa com o símbolo ‘hippie’ da paz, a pegada da pomba. Daí o título, igualmente um lema ‘hippie’.eu-a-d-o-r-o-flores

FLORES PRA UMA FLOR

Ainda no mesmo tema dos pombinhos se amando:

Gravura de dezembro de 13:

Maurílio dando flores pra sua amada Marília.

Ela adora flores. Especialmente quando vêm dele.

pensando-neleFalando em Maurílio, ele está com essa camiseta violeta que adora, já o retratei com essa roupa aqui (2 vezes na mesma postagem) e aqui.

Ao lado: também de dezembro de 13.

Marília se arrumando pra se encontrar com seu Amor. E já pensando nele, vários coraçõezinhos pulsando.

OUTONO: ESFRIANDO EM CURITIBA

Quando jogo o retrato no ar, é primavera em Curitiba e está esquentando.de-blusa

Mas eu fiz o desenho em março de 2014.

Portanto no outono, quando estava esfriando.

Por isso ela toda elegante de blusa de lã, ajeitando os cabelos castanhos.

……….

Abaixo em outra escala. Clique sobre pra ampliar, o mesmo vale pra todas sempre.

ajeitando-os-cabelosmarilia-paz-e-amore-quando-as-flores-vem-dele-entao

Que Deus Ilumine a todos.

“Deus proverá”

A Amazona

marilia-cavaleiraPor Maurílio Mendes, O Mensageiro.

Levantado pra rede em 28 de setembro de 2016.

……….

Dois desenhos inéditos.

Acrescidos de material publicado (em emeio) nos anos de 2012 e 2013.

pegando-no-braco-dela

“Pegando no Braço Dela”: em desenho de julho de 2013 (sem relação com o texto), Maurílio e Marília na intimidade se Amando.

Vários retratos de Marília, ela sozinha e ao lado de seu Grande Amor Maurílio.

Começamos por um inédito produzido em setembro de 16;

A CAVALGADA

Marília Cavaleira.

Ou, falando o português correto, ‘Amazona’, como o estado no Norte do Brasil.

Marília domina a Arte de andar a cavalo com maestria.

Tanto que ela foi escolhida pra ser a Porta-Bandeira da cavalgada:

vestido-e-sapato-floridoAbrindo a fila com o estandarte da Pátria Amada em mãos.

A roupa dela tem a saia bem grande e folgada, pra ela poder ficar de vestido mesmo montada sobre o cavalo.

…………

Na Índia, Marília está cavalgando também, mas um bicho um pouco maior: está em cima de um elefante!

“CHEGOU A PRIMAVERA: ESTOU TODA FLORIDA”

Fiz o desenho a esquerda no final de setembro de 2016.amor-me-ajuda

É o período da chegada da Primavera.

Pra vibrar nessa pulsação, Marília escolheu  um vestido bem florido. O sapato idem.

Assim ela caminha toda elegante pelas ruas, de salto-alto e bolsinha na mão.

………..

“AMOR, ME AJUDA”

Nas próximas duas gravuras, vamos ver uma historinha de julho de 2012:

como-voce-pediuMarília está tentando erguer uma caixa, mas não consegue.

E mesmo que conseguisse ela tampouco alcança em cima da estante, onde quer colocar.

Vai ter que chamar Maurílio pra ajudá-la.

Isso já aconteceu antes, alias acontece sempre.

Por isso ela diz que “queria ser alta e forte como você”.caminhando-juntos

Maurílio responde na lata: “Melhor não. Você ia ficar muito esquisita com quase 1,90m.”

Quando ela precisar ele a ajuda, quantas vezes forem preciso.

Mas o corpo dela fica bem melhor assim ‘minhozinho’, feminino e delicado.

e-o-amor………..

Direita: em retrato de dezembro de 2013, mais uma vez o casal de pombinhos caminhando de mãos dadas.

Maurílio está com a mesma camisa violeta que no dia que ergueu a caixa:porta-bandeira

Eu usei lápis diferentes assim o tom ficou distinto, mas a intenção é retratar a mesma peça de roupa, que eu tenho na ‘vida real’.

E Marília está com ainda mais um vestido florido.

……….

Repetimos as cenas em outras escalas. Clique sobre pra ampliar, o mesmo vale pra todas sempre.

florida-e-sorridentequeria-ser-forte-igual-vocetou-florida-da-cabeca-aos-pes

“Deus proverá”

Priminhos

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Todas as postagens de Marília são dedicadas as Mulheres.

Levantado pra rede em 5 de setembro de 2016.

Publicado (em emeios) no ano de 2013, acrescido de material inédito.

O inédito é o que está ao lado, produzido em setembro de 2016.

Marília é uma garota adolescente.

Como é típico da idade, ela pintou o cabelo pra chamar a atenção. Seu primo gostou dela ruiva, ‘Mulher de Fogo‘.

Marido & Mulher

“Marido & Mulher”: junho de 2013.

………..

Dia desses eu levantei pra página uma postagem chamada ‘Priminhas’. Em que Marília está junto com uma prima. Uma prima Mulher, que está até grávida.

E a prima está mexendo no cabelo dela, depois ambas vão sair, ir pro ‘shopping‘, fazer uma maratona de compras, escolher alguns vestidos. 

Agora ela abraçada com outro primo. Dessa vez um varão, um Homem. Assim eles passam o tempo de forma completamente diferente que vendo vitrines.

vamos sempre juntos

“Você fica linda grávida”: julho de 2013.

Notam que o Amor deles é, digamos, um pouco mais que fraternal.

Oras, são adolescentes. Nada mais natural que um casal de primos troquem algumas carícias, uns beijos e abraços mais calorosos.

Pra descobrirem e explorarem juntos as mudanças em seus corpos que a passagem pra idade adulta está trazendo.

…….

Depois o tempo passou. De menina Marília se tornou uma Mulher. E casou. Não com seu primo, claro, essa fase foi boa mas se foi.

eu sou uma borboletinha

“Caminhando Contra o Vento”.

Marília subiu ao altar com seu Grande Amor Maurílio. Depois vieram os filhos, seguindo a sequência natural da coisa.

………….

E fechamos com mais uma ruiva. Em retrato de abril de 2013, mais uma vez o vento tentando levantar a saia de Marília.

Dessa vez ele não conseguiu. As vezes ele não consegue. Mas tem vezes que consegue:

Um dia, a barra do vestido de Marília foi lá pra cima. Ela ficou rubra de vergonha, igual a calcinha que ela estava usando e todo mundo viu.

Porém agora a barra esvoaçou mas não levantou.

cabelos ao vento Aí Marília até curtiu o momento de ‘Cabelos ao Vento‘, inclusive abrindo os braços pra sentir melhor a rajada contra seu corpo.

Que Deus a Ilumine Eternamente.

Beijos em teu Coração de Mulher.

“Deus proverá”