“Trovão Azul” & “Domingo no Parque”, em B.H.

Metal em Minas.

Por Maurílio Mendes, o Mensageiro

Publicado em 26 de junho de 2017

Um Maurílio metaleiro, e mineiro. Morador de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Pegando condução pra ir pra Zona Oeste. Mas não qualquer coisa, e sim um Trovão Azul da época que ‘Volvo era Volvo’.

Tem mais: um Amélia que era “Ônibus de Verdade“.

Tem mais ainda: no saudoso padrão Metrobel, e “em frente ao parque”.

Em uma das muitas matérias sobre busologia no sítio, publiquei a foto ao lado (extraída da página Bus MG).

Pensando Nela . . .

Um colega, que morou em BH, se emocionou em lembrar sua infância. Foi ele quem falou que a tomada foi feita “em frente do Parque”.

Quando eu disse que desenharia a cena, novas recordações afloraram em sua mente. Eis suas palavras:

”   Rá, era demais ouvir a resfolegante respiração deles, bem mais ágeis e rápidos do que seria de se supor, descendo a ladeira!

Ah, e os cheiros? Final da tarde, começando a abrir as florzinhas “damas da noite”, aquele cheiro açucarado, o piso de ardósia, e os  Mercedões rugindo pela rua…

 Oh, Minas Gerais, quem te conhece não esquece jamais!   “

Daí o título, fazendo alusão a outras postagens: “Trovão Azul” e “Domingo no Parque“.

………..

Enfim. Maurílio está indo pra Z/O de B.H. pra ver sua namorada Marília, que também é roqueira. Ademais, ela é uma menina que adora pintar o cabelo de rosa. Ou as vezes de azul.

Um Amor em Rosa & Azul. Mas as roupas de ambos são pretas, pois a trilha sonora é o bom e velho ‘Rock’n Roll’.

Vamos pro Oeste, galera.

o ‘apartheid’ acabou.

Próxima parada, África do Sul.

Por 40 anos (1948-1988 aprox.), durante o infame regime racista, eram proibidos por lei os relacionamentos entre um Homem e uma Mulher de raças distintas.

Camisa do Kaiser Chiefs, time mais popular da África do Sul – os negros adoram futebol.

A legislação previa longas penas de prisão pra ambos, mas na prática um negro que ‘ousasse’ sequer pegar na mão de uma branca seria linchado ou executado no mesmo momento.

Já escrevi em detalhes sobre esse triste período da história sul-africana. Mas hoje tudo isso é passado, as pessoas são livres pra viverem seu Amor, independente dos tons de pele serem diferentes.

Inclusive fotografei vários casais inter-raciais nas orlas de Durbã e da Cidade do Cabo. Agora minha versão com as próprias mãos da mesma cena.

A Marília loira é africâner, o que significa que étnica, cultural e linguisticamente ela é holandesa. Enquanto que seu marido, o  Maurílio sul-africano, está com a camisa do time mais popular do país, o Kaiser Chiefs.

Muitos conhecem a banda inglesa Kaiser Chiefs. O que várias pessoas não sabem é que os músicos britânicos se inspiraram no clube africano, homenageando-o. Assim é. Kaiser Chiefs (auri-negro, ou seja, amarelo-&-preto) e Orlando Pirates (alvi-negro)  são as preferências nacionais, os que dividem a massa na África do Sul.

“Café-com-Leite”.

E eles fazem o maior clássico de Soweto (são ambos dali), de Joanesburgo e de toda nação. É o ‘derby’ (no termo em inglês ) nacional.

Novamente contrário a imagem distorcida que muitos têm, a África do Sul ama futebol. A maioria negra com certeza. Sim, os brancos se dividem entre o ‘rugby’ e o futebol, com preferência pelo primeiro mas muitos gostam também do segundo.

Porém os nativos africanos não têm coração partido, não têm lealdade dividida. Pra eles, o esporte preferido é disparado o futebol, como é na maior parte do continente e do planeta.

Já desenhei Maurílio com camisas (ou adereços como boné e tatuagens) de times da Colômbia, México, Equador, Argentina, Paraguai, Chile, Uruguai, França, Itália e Alemanha. Agora é a vez do ‘Continente-Mãe’ da Humanidade. 

do oriente ao ocidente

Muçulmana devota. Mas extremamente feminina e vaidosa, colorida da cabeça aos pés.

Vamos na mão inversa agora. Acima mostramos uma descendente de holandeses fora da Europa, numa nação de pele majoritariamente escura. Vejamos o outro lado da moeda, mais um casal inter-racial.

Ela é mais clara, ele é pardo. Mas que compartilham a mesma religião, são muçulmanos. Nasceram e moram em Amsterdã, a capital dos ‘Países Baixos’.

Os ancestrais deles vieram do Oriente: da Turquia, Afeganistão, Indonésia, enfim, algum país islâmico da Ásia.

Mas a Marília e Maurílio retratados aqui são tão holandeses quanto os moinhos de vento, os aterros no mar e os canais de Amsterdã (alias eles passam na ponte sobre um deles).

Uma vez que os europeus nativos não querem mais ter filhos, têm que importar mão-de-obra. Assim os bairros proletários centrais das grandes cidades oeste-europeias estão ficando um pouco mais coloridos, digamos assim.

Num ponto de ônibus da Cidade do Cabo, África do Sul, fotografei um muçulmano muito parecido com o ‘Maurílio’ holandês que eu desenhei: esse de carne-&-osso também é descendente de asiáticos (nesse caso Índia, Paquistão ou Bangladesh), tem pele parda, cobre a cabeça e usa roupas ocidentais (calça).

Já desenhei uma Marília holandesa da gema, etnicamente falando, sobre essa mesma ponte de Amsterdã. Aquela é ruiva, olhos azuis, a pele alva como a neve, e anda de bicicleta. 

Uma holandesa “típica”?? Bem, até o século 20 certamente a que tem tez e olhos claríssimos era o próprio retrato da Holanda.

No século 21, entretanto, essa de turbante é tão representativa quanto, ao menos na Zona Central de Amsterdã, Roterdã e as outras grandes cidades.

O Maurílio muçulmano também cobre a cabeça, e a barba enorme, quase até o peito mas sem bigode, igualmente é representativa de seu grupo étnico.

Mudemos o foco pra Mulher, pois a Energia Feminina é sempre mais bela e colorida que a Masculina, na dimensão do vestuário certamente:

Essa holandesa de ascendência na Ásia segue os preceitos ortodoxos de sua religião, por isso os membros e a cabeça são cobertos, só os parentes dentro da casa podem ver seus cabelos e seus braços.

Ainda assim, o lenço e o vestido são multi-coloridos, e ela está maquiada e com as unhas – do pé e da mão – pintadas.

A Holanda – e a Europa – estão mudando !!

Pois Marília, na raça, continente ou religião que for, nunca deixa de ser extremamente feminina em sua aparência.

É possível uma Mulher ser muçulmana praticante, e ainda assim vaidosa.

Seu turbante florido materializa um estado de espírito, o ‘encontro de dois mundos’, o islâmico e o feminino, do qual essa Marília é a síntese.

“Deus proverá”

Tundra Nevada

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 27 de abril de 2017

Maurílio e Marília nas estepes da Sibéria, Rússia.

Sob uma nevasca muito forte, como notam.

Natural, eles estão no Polo Norte da Terra, bem acima do Círculo Polar Ártico.

………

Maurílio é acostumado a enfrentar temperaturas muito frias:

No Canadá ele fez até um boneco de neve.

Porém ali ele estava perto do Círculo Polar, mas ainda abaixo dele.

Em Labrador, no Canadá, está caindo neve. Mas bem pouquinho.

Em outra oportunidade ele foi esquiar de férias nos Alpes, na Áustria.

Dessa vez sequer está nevando, o céu está limpo.

Nevou a noite, e está bem frio. Mas de dia não.

…….

Na Ucrânia (que por décadas junto com a Rússia e e diversas outras nações eram parte do mesmo país, a URSS) fora onde ele havia visto a camada de neve mais grossa, cobriu até o carro.

Abra a postagem pra ver, ele conversando na língua nativa – no alfabeto cirílico!, oriental – com o dono da casa.

E Maurílio já havia ido a Rússia antes.

Bem, a imagem em frente as cúpulas multi-coloridas do Kremlin é auto-explicativa.

Aqui está bem frio, ele também está de touca, mas no momento o céu está limpo. Não vemos o chão, pra saber se há neve acumulada.

Falei tudo isso pra ressaltar o que vocês já perceberam: dessa vez na Sibéria é a nevasca mais forte de todas.

Está nevando durante o dia, com Sol. E não apenas a noite.

Pois se Labrador-Canadá é perto do Polo Norte, as estepes da tundra siberiana estão no Polo Norte. Não estão ‘próximas a ele’, mas são exatamente o próprio.

É a 1ª vez que desenho Marília na neve. Ela mora na capital mais fria do Brasil, Curitiba óbvio. Onde é absolutamente normal temperaturas próximas de 0º, mas neve é raríssimo, só 3 vezes em um século. A última em 2013 mas só no Extremo Sul da cidade com intensidade , no resto da metrópole quase nada ou mesmo nada (no interior foi diferente, nevou bem forte). Assim, vou nas laterais Marília toda encasacada no inverno curitibano. Os desenhos são de outras postagens, clique nas ligações em vermelho pra ver os originais onde ela aparece de corpo inteiro.

Mas Marília e Maurílio estão acostumados com o clima, que outros considerariam ‘hostil’.

Pra eles não, é harmônico e natural. Pois eles são esquimós. Daí a pele vermelha e os olhos puxados do casal a direita acima.

Eles não estão a turismo no Extremo Norte da Sibéria, não estão se encantando com a paisagem exótica, pois pra eles não é nada exótica, é sua terra-natal.

Nas regiões polares a agricultura não é possível, pelo frio intenso.

Resultando que obviamente os esquimós são caçadores, pois sua comida e vestuário são obtidos assim, daí a lança na mão de Maurílio.

Entretanto, leve em conta que os Esquimós Peles-Vermelhas vivem em Plena Harmonia com a Natureza, pois se veem como parte dela, Sendo Um com a Mãe-Terra.

Só matam o que for estritamente necessário pra não morrerem de fome e frio, exatamente como fazem os animais.

Oras, é conhecida a relação de Amor e Harmonia entre os Peles-Vermelhas e o bisão, que lhes serve de comida e abrigo contra o frio.

Exatamente por isso pra exterminar os índios os colonizadores europeus na América do Norte exterminaram primeiro o bisão.

No Ártico, a Palavra Vale. Olho-no-olho, não precisa contrato escrito. E a Harmonia entre tudo e todos é a Lei.

A maioria dos Homens e Mulheres das regiões temperadas e tropicais, bem ao contrário, tem na trapaça e ganância seu modo de vida.

Vivem a enganar – e sempre que possível explorar e mesmo matar desnecessariamente [veja a guerra das torcidas de futebol] – seus semelhantes.

E veem a Natureza como algo a ser domado e subjugado.

Tristes tempos, triste civilização. Mas . . . não precisa ser dessa forma grotesca.

Do Extremo geográfico da Terra vem a lição que nós podemos ser menos extremados na nossa visão.

E viver em Harmonia com todos os Irmãos e Irmãs, com a Natureza e com o Cosmos.

Que os Anjos digam Amém. No Ártico, é assim desde Sempre.

………

Mensagem produzida no Brasil mas levantada pra rede a partir da Cidade do Cabo, África do Sul.

“Deus proverá”

Gênese Revisitada

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 7 de março de 2017

Na configuração atual do planeta, as partes que o Homem e a Mulher habitam a mais tempo são a África, China e Índia.

São dessa forma a Gênese da Grande Epopeia Humana na Terra, daí o título.

Do Continente Negro e do Extremo Oriente nos ocupamos em outros momentos. Aqui, nosso foco é a Velha-Mãe Índia.

Os povos que hoje povoam a Europa (e portanto cuja cultura é predominante a nível global, nesse ciclo) antes de chegar ali um dia passaram pela Índia, muitos e muitos milênios atrás.

E é por isso que na linguística se fala em ramo de idiomas Indo-Europeu.

Assim vamos ver Marília e Maurílio em suas voltas pela Índia.

Acima ‘Marília, a Indiana’. Em frente ao templo Taj Mahal.

E a direita Maurílio como um Iniciado Hundu. Ele está tão avançado na Meditação do Rig-Veda que está conseguindo até levitar. “Mais Leve que o Ar”.

Agora Marília montada num elefante. Ela e o animal estão ricamente paramentados a caráter pra algum desfile tradicional indiano.

Cheios de adereços florais. Não apenas Marília está maquiada, mas o paquiderme igualmente.

……….

Voltemos a nossa Pátria Amada. Vamos ver nosso casal de pombinhos praticando – separadamente – a Ioga:

Essa Arte Milenar de Expansão de Consciência que veio da Índia.

Como aqui eles são brasileiros e estão em casa, ambos estão vestidos com roupas ocidentais, aquelas que nós usamos no nosso dia-a-dia:

Ela de calça de ginástica, aquelas justas mas bastante flexíveis, e ele veste bermuda.

Bem, o Maurílio Indiano também está de bermuda, alias quem sabe a mesma, de cor cinza.

Mas lá ele está somente de bermuda e não faz mais a barba a anos. Aqui ele se barbeia e está de camiseta.

O Maurílio brasileiro frequenta uma academia, praticando a postura ‘Invertida’. Enquanto que Marília está no gramado, numa aula pública e gratuita de ioga, passando o domingo no parque.

………..

Por fim, repito em escala maior os retratos de Marília em frente ao Taj Mahal pra que possamos reparar nos detalhes. 

vestida-a-caraterE detalhes é que esses desenhos mais têm. Tanto o templo quanto a calça dela são amplamente ornamentados.

Alias, pela imagem ser comprida eu tive que fazer uma colagem pra podermos ver as pernas sem que máquina perdesse o foco do seu rosto.

Namastê.

Hare Rama, Hare Sita.

Em português: “Louvado é Deus Pai e Mãe”.

OM.

Alfabeto Cirílico

no-leste-europeuPor Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 22 de dezembro de 2016

Maurílio na Ucrânia.

E o que é mais incrível: conversando com os nativos em ucraniano!!!

………praça vermelha maurílio desenho kremlin cúpulas frio casaco touca moscou rússia

Vocês já sabem que ele esteve na Rússia. Veja ao lado, Maurílio em pleno Kremlin. Depois ele passou por Londres também.

Mas antes de ir pra Inglaterra deu uma paradinha na Ucrânia, que afinal é ali do ladinho de Moscou.

Tá um inverno de rachar no Leste Europeu. Maurílio tá pensando:

em-ucranianoCaraca, mano. Tá russo o negócio por aqui… Que neve em Quiev, hein……..rs.”

Mas ele não se intimida, segue seu rolê e até mesmo leva uma ideia com os moradores da cidade na própria língua deles.

Pra quem não é versado em ucraniano, Maurílio perguntou que ônibus vai pra esse bairro, e onde ele pode tomá-lo.

O morador respondeu: “é fácil, é a linha número 9, passa bem no Centro da cidade”. sobrado-bi-modal

Outro detalhe: eis a arquitetura típica russa/ucraniana, os sobrados com essas cúpulas quase ovais.

E não por outro motivo o Kremlin guarda certa semelhança com as casas da região.

Nesse caso é um sobrado bi-modal, alvenaria embaixo e madeira em cima, como é muito comum também no Chile e em Santos-SP.

Na tomada acima isso fica mais claro, vemos melhor as ripas verticais de madeira.

…….desenho boneco neve maurílio canadá bandeira frio inverno

Voltando a viagem pra parte mais gelada da Europa em pleno inverno boreal:

Ainda bem que uns anos atrás Maurílio foi pro Canadá, onde pegou um frio similar.

Assim ele já tava acostumado com o termômetro pra baixo de 0°. Fez na ocasião até um boneco de neve!!!

Deus proverá

Até Pequim tem metrô – o maior do mundo, aliás

no-metro-de-pequim

“Marília, a Chinesa”.

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Levantado pra rede em 11 de outubro de 2016

O desenho de Marília em Pequim é inédito.

As demais imagens e o texto foram publicados (em emeio) em 1º de março de 2013.

Na última postagem fiz Maurílio Chinês. Soldado do ‘Exército do Povo’ dessa nação. Então, pra sua esposa não ficar pra trás, fiz Marília Chinesa também:

Esperando na estação do metrô de Pequim (espelhando um retrato que já fiz de Maurílio na Zona Oeste do Grande Recife-PE).

pequim

Pequim

Na capital da China há, como em todas as redes modernas de metrô pelo mundo afora, um vidro entre a plataforma e o trem. A porta só se abre quando o trem encosta, impedindo quedas na via.

Como já dito, gravura inédita, produzida agora em outubro de 2016.

Aí nós vamos aproveitar e falar um pouco da rede de transportes da China. Se alguém não sabe, esse país oriental tem as duas maiores redes de metrô do mundo:

O de Xangai  é o mais extenso do planeta, o  da capital Pequim é o segundo.

Emendo aqui excertos do emeio publicado em março de 13. A primeira parte dele já foi pro ar nessa matéria em que eu falo do transporte na Colômbia.

metro-pequim

Pequim

Continuemos a série sobre o transporte. Esses dias escrevi que a mesma obra (a implantação de um corredor/canaleta exclusivo de ônibus) leva 12 vezes mais tempo aqui em Curitiba que na Colômbia.

Por misericórdia a Curitiba, não irei com comparar ela com a China. A China a passos largos caminha pra ser primeiríssimo mundo.

Fatos são fatos: desde a virada do milênio, Xangai e Pequim construíram juntas quase 900 km de metrô (só nessas 2 cidades, e não na China inteira), e hoje tem os dois maiores sistemas metroviários do planeta.

pequim

Pequim

O país decidiu se tornar uma superpotência, e pra isso o povo chinês, diante das dificuldades, só responde “trabalharemos o dobro”. 

Se as dificuldades aumentam, o empenho em resolvê-las faz com que eles decidam “então trabalharemos o triplo”.

O metrô de Xangai foi inaugurado em 1993. Tem portanto apenas 20 aninhos. Só que ele já conta com 430 km, é o segundo maior do mundo.

Você acha muito? Os chineses acham pouco. Nos próximos 7 anos, ele vai dobrar de tamanho e terá 877 km em 2020. Nota: o texto é de 2013.

metro-xangai-china

Daqui pro fim todas as imagens são de Xangai.

Em 16, quando levanto a matéria para rede, o metrô já tem 23 anos e foi ampliado em 158 km – em apenas 3 anos!!! – chegando a 588 km no total. Planos que em 2025 ele supere os mil km.

A capital Pequim não fica atrás. Tem o maior metrô do mundo, após impressionante ampliação recém-concluída, em dezembro (de 2012). São 442 km de linhas. Até 2020 serão mais de 1000.

Sim, serão mais de mil quilômetros. Até pus por extenso, porque será o primeiro metrô da Terra cuja extensão será medida em 4 dígitos.

Das 16 linhas do metrô de Pequim, 12 foram inauguradas nesse milênio, nos últimos 13 anos portanto. “Trabalharemos o dobro”, sem dúvida. Atualização: em 3 anos Pequim ganhou mais 112 km, e agora conta com 554 km.metro-xangai-china1

Assim, o metrô de Pequim era o maior do mundo em 2013, quando mandei o emeio. Não mais. O de Xangai se expandiu mais rapidamente, e lhe tomou o posto. Pequim promete retomar a liderança até o fim da década, mas por hora está em 2º.

Esteja qual das duas em 1º num determinado momento, o que não se altera é que desde 2013 a China tem as duas maiores redes de metrô do mundo.

metro-de-xangai-chinaE como se ampliam rapidamente competindo para ver quem fica em 1º, ambas vão abrindo cada vez mais distância em relação a todo o resto do planeta, Europa e Japão incluídos.

………

Como comparação, as metrópoles da Europa do Oeste/América do Norte, antigamente acostumadas com a supremacia que desfrutaram no último milênio, já ficaram pra trás.

Londres-Inglaterra tem 408 km de metrô. Impressionante, sem dúvida, mas não há planos de dobrar a rede em 7 anos (atualizando: em 2016 o mesmo número, ou seja, não houve qualquer expansão em 3 anos). metro-de-xangai-china1

Nova Iorque-EUA tem 337 km (em 2016 375 km, 38 km de expansão, muitíssimo abaixo da China).

De volta a Ásia, Tóquio-Japão conta com 286 km (em 16 são 304 km, portanto mais 18 de ampliação, infinitamente menos que na China).

Enquanto Seul-Coreia do Sul tem um pouco mais, 317 km (3 anos depois foi pra 331 km, aumentou mais 14 km, novamente incomparavelmente menos que na China). Esse número de refere ao sistema urbano da capital.

xangai-china

A famosíssima costa de Xangai.

Alguns dizem que o sistema de Seul é o maior do mundo, com mais de 900 km (em 2016 mais de mil, 1.097 km especificamente).

Mas é porque o metrô urbano de Seul é integrado com extensa rede de trens que cobre boa parte do país, e esse número maior é a soma das duas redes. 

Só como metrô individualmente, as duas maiores malhas da Terra são Pequim e Xangai, as capitais política e econômica da China.

E até 2025, ou 2030 no máximo, Pequim e Xangai terão mais metrô que Seul, mesmo que você inclua no metrô de Seul a rede de trens que vai pro interior da Coreia. Tá bom pra ti?

Deus proverá”

Exército Vermelho

exercito-do-povoPor Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 7 de outubro de 2016

Um Maurílio oriental e militar. Soldado do Exército Chinês.

Na última postagem falamos da Mitologia Europeia pré-Cristã.

Então agora vamos pro outro lado do planeta.

Nota aos amigos chineses:

Peço perdão por não conseguir reproduzir corretamente os caracteres e insígnias no uniforme. Minha intenção é homenagear, e jamais vilipendiar, o Glorioso Exército do Povo Chinês.china

Que heroicamente já expulsou um Império e breve expulsará outro – quem tem ouvidos que ouça . . . .

Fiz esse desenho pra aproveitar que o Raio Chinês está Aberto: veja o Gato que eu comprei pra enfeitar minha estante.

gatoDaqueles que mexem o bracinho, artefato típico da China como é sabido por todos.

……….

Em tempo: Também já desenhei Marília Chinesa. Ela é civil, andando no metrô de Pequim.

Que duela com o de Xangai (também na China) pra ver qual é o maior do mundo.

E outra Marília oriental, de olhinhos puxados. Mas numa profissão bem diferente, ela é cantora. pelotao-sentido

Num visual bastante chamativo, pra impressionar os fãs.

Já o Maurílio chinês é o exato oposto, o exemplo da disciplina na farda verde-oliva.

Do Oriente ao Ocidente,

Eu Sou O Mensageiro.

“Deus proverá”

Charrúa

maurilio no uruguai

Mate Amargo.

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 30 de julho de 2016

Maurílio viajando pelo mundo. No Uruguai e na França. Começando pelo Uruguai, ele foi fotografado num parque na orla de Montevidéu.

Que tem o nome da cidade em letras garrafais. Eu não conhecia esse monumento, nunca estive fisicamente no Uruguai. montevideu

Seja como for, aí está Maurílio tomando um chimarrão, e com o manto do Nacional do Uruguai, tri-campeão da Libertadores.

bleu, blanc, rouge

Pra vibrarmos na mesma frequência, agora Maurílio em Paris. Em frente a Torre Eiffel. Dessa vez com a camisa do Paris Saint-Germain.

maurilio na franca

Na ‘Cidade-Luz’.

Esse monumento é universalmente conhecido, não é preciso explicar nem anexar fotos. Mesmo quem nunca esteve na Europa (como é meu caso) já o viu milhares de vezes em fotos e na TV.

A ‘mesma frequência’ se refere que os dois times têm as mesmas cores, branco, azul e vermelho. Que são as cores nacionais também tanto da França quanto do Uruguai.

Sim, a bandeira atual, civil, do Uruguai é apenas azul e branca espelhando a argentina. Mas a bandeira de guerra uruguaia, com a qual ele se tornou independente do Brasil, é tricolor, incluía o vermelho.

Todos os movimentos nacionalistas uruguaios, sejam de direita ou esquerda, incluem a cor rubra em sua parafernália, exatamente por isso. É pela mesma razão que o Nacional é tricolor e inclui o vermelho.

paris-saint-germain

Em frente a Torre Eiffel, com a camisa tricolor azul, vermelha e branca do PSG.

Trata-se do primeiro clube ‘crioulo’ da América. Daí seu nome, o ‘Nacional do Uruguai’. Foi fundado por uruguaios, e não por espanhóis (ou ingleses, ou italianos, ou alemães) que morassem no Uruguai.

Ou seja o 1º que foi fundado por americanos aqui nascidos, e não por europeus colonos (‘Americanos’ se refere, sempre, ao continente América – o que é natural dos EUA é ‘ianque’ ou ‘estadunidense’).

…………

Isto bem esclarecido, vamos a um detalhe curioso. Geralmente quando desenho ‘Maurílio’ com camisa de times de futebol do exterior, é na cor azul.

No Equador o L.D.U., inclusive esse é tricolor como os dois acima, celeste, rubro e alvo. No México o América – bem, esse é um caso a parte, o futebol mexicano é mesmo quase inteiro azul.

Falando na Torre Eiffel: pensa que é só 3º mundo que tem problemas ambientais? Veja a poluição em Paris, dezembro de 2016. Tanta fumaça oriunda da queima de carbono que só vemos o topo da famosa torre que Maurílio visitou. Foi tão crítico que decretaram estado de emergência, impedindo a circulação de metade da frota de veículos.

De volta a Europa. Na Itália Maurílio adotou o Nápoli, igualmente celeste. Está se estabelecendo um padrão. Mas não é regra geral.

Tanto o Chile quanto o Paraguai têm a mesma rivalidade futebolística em termos de cores: um time azul e vermelho contra um preto e branco.

Obviamente me refiro a Cerro Portenho x Olímpia em Assunção e Colo-Colo x Universidade do Chile em Santiago. E nesses casos eu prefiro o alvi-negro ao azul.

Aliás o Paraguai tem uma equipe, o Nacional de Assunção, que é xerox ‘falsificado’ do Nacional de Montevidéu.

Em 2013 eu vi no Defensores do Chaco uma partida do Nacional-cópia de Assunção. Naquele ano ele acabou se sagrando campeão paraguaio, e no ano seguinte vice da Libertadores.

A Argentina também tem um time azul, diga-se de passagem é o mais popular do país. Mas eu gosto de um clube vermelho, e não é o River, e sim o Independente de Avellaneda.

tomando chimarrao

Nacional do Uruguai, também tricolor na mesma configuração de cores.

Joguei no ar a nova ‘encarnação’ futebolística de Maurílio: o Diabo Argentino, trepado no alambrado, que é como os chefs das barras-bravas argentinas veem as partidas.

Estive na Argentina em 2017, fui ver uma partida no estádio do São Lourenço e comprovei isso pessoalmente.

Embora não tenha entrado, também passei em frente e o fotografei os estádios do Independente e do Racing em Avellaneda. Justo num dia de jogo do Diabo, registrei o povão chegando.

Nacional da Colômbia, verde. Mas Marília, que também adora futebol, prefere o arqui-rival Independente Medelím, que também é tricolor, vermelho, azul & branco.

Também já me desenhei com o boné do Olímpia, e igualmente como como ‘hincha’ do Índio Chileno.

Tem mais. A Colômbia também tem um time azul, o Milionários de Bogotá. No entanto Maurílio é torcedor do Nacional de Medelím, que acaba de se sagrar bi-campeão da América.

Portanto no Velho Mundo, Uruguai, México, etc, Maurílio usa a camisa azul. Mas na Colômbia, que foi a nação que eu mais gostei de visitar, não há qualquer dúvida:

“Vamos Verde!!! Vamos de novo pro Japão!!!”

“Deus proverá”

Presente de Grego

nos dois na grecia

“Querida, sobe devagar pra eu fotografar”.

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Levantado pra página em 21 de julho de 2016

Dois desenhos inéditos, e dois publicados em emeio no ano de 2012. Começo pelos inéditos, feitos agora em julho/16:

Maurílio e Marília foram pra Grécia.

Acima eles entrando em um ônibus da capital Atenas.maurilio e marilia na praia

‘Azulão’ e com ‘capelinha’. Pra quem não sabe o que é isso, trata-se daquele pequeno letreiro saltado no teto, que contém o número da linha.

Até onde sei, só 4 países no mundo tiveram capelinha: Brasil, Uruguai e Chile aqui na América e Grécia na Europa.

Se te interessar, já fiz postagem completa sobre o tema, com dezenas de fotos.  Incluso lá há imagens em boa resolução exatamente desses busões azuis de Atenas com capelinha.

………..

E a direita o casal de pombinhos numa praia paradisíaca das Ilhas Gregas. Daí estarem em roupas de banho, óbvio.

Voltamos a falar da imagem do busão. Maurílio é busólogo, e está fotografando o bichão (como já o fez em Rio/Mafra, na Divisa PR/SC). Aqui ele clica a máquina por lazer .

Mas tem vezes que ele maneja esse instrumento profissionalmente, como um ganha-pão.

Aqui, porém, não é dia de trabalho, é dia de folga. Nesa viagem pra Europa eles estão curtindo a vida, somente.

Por isso ele correu pra frente do veículo, e pediu pra Marília entrar bem devagar, pra dar tempo de enquadrar e clicar.

Estamos relembrando o passado. Essa viagem deles foi nos anos 80. Hoje os busões de Atenas não têm mais capelinha a muito. Alias os de lugar nenhum.

………..subindo no busao

E quanto a Marília: ela está linda e deslumbrante como sempre. 

Seja de Vestido Azul ou com roupa de praia, como vemos de novo logo abaixo em escala maior. Vestido que ela comprou especialmente pra essa viagem.

Combinou com o busão. Mas não intencionalmente. Ela não sabia que os busos de Atenas eram nessa cor, só viu quando chegou lá.

Marília não é busóloga. Pra ela, saber qual linha tem que pegar e se entra pela frente ou por trás é toda informação sobre ônibus que ela necessita possuir.

…………

amor eternoAgora os desenhos do arquivo. Já que o tema é viagens do casal e ônibus azuis, a direita, em retrato de julho de 2012:

Maurílio no subúrbio do Recife. Vendo um tróleibus azul da CTU.

E 2 a dísel da Borborema, um já na padronização SEI. E outro na pintura livre (ainda com o ‘Área 1’ do EMTU) – igual a da Real Alagoas de Maceió, pois são do mesmo dono.

Eles foram juntos pra capital pernambucana. Curtiram a Praia de Boa Viagem. Mas antes ele foi sozinho pro subúrbio investigar justamente o transporte coletivo.Recife-PE

Além dos busões como está mostrado aqui Maurílio foi também de metrô até Camaragibe.

E abaixo em cena de maio de 2012, ele novamente no ponto:  indo pra Campo Largo, Zona Oeste da Grande Curitiba.

A Zona Oeste do Grande Recife tem metrô. Já a Z/O da Grande Curitiba, alias de qualquer parte de Curitiba, só de ônibus mesmo…

rumo a Zona Oeste

Rumo a Z/O da Gde. Ctba, num Viale amarelo. Numa outra mensagem, rumo a Z/O de Belô num Amélia Trovão Azul.

Definitivamente Maurílio prefere usar transporte coletivo que dirigir. Ao volante só for a trabalho pilotando um Jacaré Scania, ou, de automóvel, um conversível de férias ao lado de Marília.

………..

Nota: reconheço que a qualidade desses 2 últimos desenhos não ficou das mais apuradas. Mantenho pois melhor que nada, pra irmos publicando por completo a Saga de Maurílio & Marília.

“Deus proverá”

do Oriente ao Ocidente

na velha-mae indiaPor Maurílio Mendes, O Mensageiro

Todas as postagens de ‘Marília’ são dedicadas as Mulheres

Levantado pra rede em 14 de junho de 2016

Publicado (em emeios) nos anos de 2012 e 2014, acrescido de material inédito.

Na lateral anexo um desenho antigo, e no corpo principal de texto começamos vendo os que ainda não haviam sido publicados, feitos agora em 06/16.

Marília na Índia. Como é o costume dessa nação, cavalgando um elefante.princesa shakti

Se fosse no Brasil ela estaria sobre um cavalo. Mas voltemos a Marília do Oriente, nosso foco hoje:

Ela está toda enfeitada, parece uma Princesa Hindu. Uma verdadeira Shakti de carne e osso. Muita, muita bijuteria. Parece uma cigana? Natural, os ciganos vieram da Índia.

no espelho

No espelho – Dezembro de 2014.

Mas o animal não fica atrás. Está igualmente todo decorado:

Pintado até nos olhos e forrado de adereços, da cabeça aos pés.

Bem, no Himalaia é assim, tudo é multi-coloriudo ao extremo. A começar pelos ônibus.

Mas até os telhados por lá viram uma Obra de Arte.

……..

Maurílio, o Grande Amor de Marília, também esteve na Índia. com bobes no cabelo

Ele tem estudado os Vedas com afinco, já está até levitando.

E falando nesse casal e os paquidermes, ambos – e mais seus 2 bebês gêmeos – foram ao Zoológico de Curitiba,onde estão vendo um hipopótamo,

NO TEMPLO FEMININO:

O SALÃO DE BELEZA

Outro retrato inédito, recém-produzido.

Marília no salão de beleza.

Fazendo permanente no cabelo, com bobes e tudo.

no cabelereiro……..

A esquerda numa visão mais ampla, pra que possamos observar o secador.

Bem antigo, não?

Creio que esse modelo não é mais usado a décadas. Uma volta no tempo.

Ou quem sabe é uma ‘encarnação anterior’ de Marília . . .

 Na verdade eu pensei que nem se usasse mais bobes.

Mas minha esposa me informou que esse apetrecho ainda tem sua valia.sendo depilada no salao de beleza

E  é sim utilizado nos salões até hoje.

………..

Agora vamos abrir os arquivos.

E levantar pro ar o que já foi publicado em emeio.

tou bem tranquilaEsse em Preto-&-Branco é de 7 de janeiro de 2014.

Marília sendo depilada no salão. Com cera quente….ui!!

Mas até que ela está tranquila, veja a esquerda, bem serena.

Talvez já esteja acostumada.puxando a cera

Tem vezes que ela raspa as pernas em casa.

Mas hoje ela não quis se se depilar sozinha, e preferiu ir ao salão.

Pra ficar deitada, bem sossegada.

Enquanto alguém punha a mão na massa – ou mais precisamente na cera – pra deixar suas pernas bem lisinhas.  

flor marília ruiva olhos verdes hibisco rosa pingente corrente colar letra 'm' vestido enlaçada laço unhas vermelhas pulseira plano deus maurílio casal camiseta azul listrada moreno pinta lábiosFLORES PARA UMA FLOR: É O AMOR

Junho de 2012:

Marília e seu Amado Maurílio trocam flores no dia dos namorados.

É um hibisco rosa, é claro.

Azul & Rosa, simbolizando a União do Masculino e Feminino.

ruiva e pintadinha……..

Ruiva pintadinha:

Marília de cabelo vermelho natural.

Basta ver seu rosto cheio de sardas.

Desenho de outubro de 2012.

…………….

Abaixo repito alguns desenhos em escala maior:

a mais bela florsou sardentinhacavalgadora de elefantes

Que Deus Pai e Mãe a Ilumine Infinitamente.

Beijos em teu Coração de Mulher.

“Deus proverá”

Cidade Eterna

“os legionários”

no coliseuPor Maurílio Mendes, O Legionário

Publicado em 4 de março de 2016

Depois de um giro pela Rússia e Inglaterra, Maurílio foi mais uma vez a Europa. Dessa vez a Roma, Itália.  A mundialmente famosa “Cidade-Eterna”.

Fundada pelos gêmeos Remo e Rômulo que foram amamentados pela loba – e daí seu caráter expansionista, quem sabe. Gênese da Raça Latina que tem seu Ápice em nossa Querida América.

Em frente ao Coliseu ele posou como Guarda Pretoriano da temida Legião Romana.

As duas tomadas panorâmicas do Coliseu vieram via ‘Google’ Mapas.

Com tudo que tem direito, capacete moicano e uma espada em cada mão, que é pra matar não um mas dois leões por dia.

Pra quem não sabe em frente ao Coliseu há camelôs que alugam esses equipamentos, assim quem queira pode ser fotografado a caráter.

 ………..

Seguindo longa tradição que já se repetiu no Equador, Paraguai e México (no Chile ainda mais radical tatuado na pele), ele comprou um adereço de um time local, pra se mesclar aos italianos.

Mas a camisa não é do Roma, e sim do Nápoles. Tudo Azul, como no México. E está escrito: “Dio non c’è. C’è Maradona”. Na virada dos anos 80 pra 90 essa frase foi pichada nada menos que na Catedral de Nápoles.

gladiador

Maurílio, O Gladiador. “Vim, Vi e Venci.”

Em português, “Deus não existe. Existe Maradona”. Importante: é claro que eu Acredito que Deus existe, e não por outro motivo assino todas as postagens com “Deus proverá”.

Estou somente reproduzindo aqui um mantra da torcida napolitana, e não endossando. Bem, de qualquer forma a teologia futebolística argentina é mesmo heterodoxa: até o Diabo é popular por lá. Não é modo de falar.

Voltando ao ‘Mão de Deus’ (esq.), não é difícil entender o porquê de tanta devoção e divinização do argentino: o Sul da Itália – do qual Nápolis é a maior metrópole – é pobre. Até 1987 o time da cidade nunca havia sido campeão italiano.

mão deus capitão maradona futebol copa 1986 méxico argentina inglaterra futebol gol uniforme reserva azul escuro

“Mão de Deus”????: Dieguito estava endiabrado nessa época, e além das maiores conquistas do Nápoles deu também a Argentina sua 2ª Copa do Mundo. Contra a Inglaterra o bicho só não fez nevar no Azteca, porque marcou dois dos gols mais antológicos da história das copas, no mesmo jogo. Num ele pegou a pelota ainda em seu campo e driblou nada menos que 7 ingleses (incluindo o goleiro) antes de praticamente entrar com bola e tudo. Quanto ao outro tento … uma imagem vale por mil palavras. Repare ao fundo o zagueiro inglês levantando o braço, dizendo que o lance foi ilegal. Mas o juiz validou. Os britânicos não se conformam até hoje. Segundo alguns, foi a vingança argentina pela derrota na Guerra das Ilhas Malvinas.

Aí, capitaneado por Maradona, a equipe montou um esquadrão, que contava também com os brasileiros Careca e Alemão. Em 4 anos foram 2 títulos nacionais e um internacional.

Além dos canecos italianos de 86/87 e 89/90, o Nápoles  venceu também a Copa da Europa 88/89, o segundo torneio mais importante do continente, só atrás da Liga dos Campeões.

De lá pra cá não ganhou mais a 1ª divisão e nem nenhuma disputa internacional. Suas voltas olímpicas mais relevantes desde então foram duas conquistas da Copa da Itália, já nessa década de 10.

Ou seja, a era de Maradona continua sendo a mais dourada e vitoriosa do clube, e de todo Sul da Itália. Até hoje se veem pichações exaltando Dieguito nos muros da cidade.

O que comprovei recentemente – via Visão de Rua do ‘Google Mapas’, eu nunca fui a Europa no plano material. Dessa vez a parafernália não é mais em plena Catedral, mas no auge dos títulos alguém decidiu marcar dessa forma.

Por isso Maurílio surfou nessa onda também. Antes de demonstrar algo como adesão as teses materialistas dos ateus, é mais uma forma bem-humorada de homenagear o maior ídolo da história de uma paixão popular.

Nápoles, a ‘Nova Cidade’ (Neapolis) do Império, é definitivamente a cidade que mais gosto na Europa. Por isso Maurílio mesmo na capital não usa camisa do Roma ou Lazio, mas sim essa. A roupa celeste virou sua armadura pros embates da Vida.

Lembranças do Império Romano….

…..

Eu Sou parte daquilo que se conhece como “Os Legionários”.

Da Cidade Eterna e pela Eternidade,

Assim É.

É nóis que tá.

“Deus (o Verdadeiro, e não o argentino) proverá”