Prefixo em cor diferente: é a ‘Costa Norte’ Brasileira

angelim fortaleza

Início dos anos 90: Fortaleza ainda tinha pintura livre. Mas o prefixo em outra cor já estava presente. Por pouco tempo a entrada foi pela frente, depois voltou pra trás. Monobloco da Angelim, mostrado sem esses retângulos vermelhos nessa outra mensagem.

Por Maurílio Mendes, ‘O Mensageiro’

Publicado em 1º de setembro de 2011

Quase todas fotos foram baixadas da net.

Os créditos foram mantidos, sempre que eles estavam impressos nas mesmas.

Exceto uma que eu tirei pessoalmente em 2011. Eu informo qual.

……..

Você já reparou que os ônibus de Fortaleza, Teresina, São Luís, Belém e Manaus têm (ou tiveram até recentemente) o prefixo pintado em cor diferente do resto do número? As imagens são auto-explicativas.

teresina-pi

Teresina, atual.

Falei em texto anterior que Fortaleza é o coração da Costa Norte brasileira.

Vamos aprofundar o tema hoje.

O nome se deve, logicamente, a posição das cidades que a compõe em relação ao Oceano Atlântico. Mas vai muito além disso:

Quando falo em Costa Norte, é também uma definição cultural.

sao luiz-ma1

São Luiz, ainda na pintura livre

Fortaleza-CE, Teresina-PI, São Luís do Maranhão e Belém do Pará formam uma região homogênea, que tem sua própria cultura.

Costa Norte é um conceito humano, e não meramente físico.

Manaus-AM não é ‘Costa Norte’, afinal não é nem perto do Oceano. Mas nesse caso foi por influência de Belém.

E uso a busologia pra comprovar isso. Nessas capitais, e somente nelas, há o costume de colocar os dois primeiros números dos ônibus em cor diferente.

belem-pa1

2ª padronização de Belém.

Essa ideia surgiu em Fortaleza, o epicentro da Costa Norte, e logo se espalhou pelas demais capitais. Vejamos as fotos:

Eis vários busões da saudosa Companhia de Transporte Coletivo (C.T.C.) da capital cearense.

Mostrando o primeiro padrão padronizado da cidade, dos anos 90. Um deles tem a numeração: 09 827.

Vemos também a pintura toda azul clara com as flechas. Era a vigente quando estive no Ceará e escrevi esse emeio, em 2011. O carro em questão é 10 003.

manaus-am

Manaus, ainda era pintura livre

Durante muitos anos houve um desenho similar com flechas em Belo Horizonte-MG, que também já foi mudado. Nessa cidade do Sudeste não houve o prefixo de outra cor.

Aqui estou falando só das flechas, que por um tempo existiram tanto nas capitais de Minas quanto do Ceará. Mas essa é outra história.

………

ctc

1ª padronização de Fortaleza. A princípio seriam 3 pinturas, conforme a categoria (expresso, alimentador, radial, etc). Mas com o tempo todos os busos ficaram com essa pintura.

De volta a Fortaleza. Pra levantar a matéria pra rede, em 2015, puxei mais fotos, incluso algumas ainda na pintura livre (entre outras a Angelim e Iracema).

Depois que escrevi esse texto, Fortaleza mudou o padrão de pintura, como dito acima e é domínio público. No desenho atual, majoritariamente branco com o azul claro na frente e no teto, ainda há o prefixo em cor diferente.

Confira matéria completa sobre o transporte na capital cearense, abordando não apenas os ônibus mas também o modal sobre trilhos, em suas muitas variantes lá presentes (metrô, VLT e trem suburbano).

…….

Mostro também Teresina. Reparem na numeração do carro, 05 208, com o ’05’ de outra cor que o ‘208’. A cidade padronizou a pintura dos busos, e lá o prefixo também continua sendo de outra cor.

primeira padronização

Próximas 2: eis as outras pinturas da 1ª padronização fortalezense. Duraram pouco e foram abandonadas, todos os carros repintados como está na foto acima a direita, repetindo. O embarque pela dianteira tampouco vingou.

A busologia da capital piauiense já foi abordada em outras mensagens. Pois ela também compartilha uma característica com os ônibus recifenses: nomes curiosos das linhas.

E outra com os ônibus gaúchos: quando foi preciso mudar a pintura de livre pra padronizada, criaram um modelo intermediário, meio livre/meio padronizado. É isso mesmo.

………

A seguir, São Luiz do Maranhão. Quando era pintura livre e no início da padronização, o prefixo era de outra cor. Mas hoje em dia já não mais.

……….

belemVou fazer uma retificação:

Escrevi que “em Belém do Pará, na primeira padronização (fim dos anos 90 e começo dos 2000) os veículos eram brancos e com o sufixo em outra cor do resto da numeração.”

Na verdade vendo mais fotos pela internet descobri que essa foi na verdade a 2ª padronização.

Antes houve outra, logo no começo dos anos 90 os ônibus belenenses foram padronizados pela 1ª vez num esquema “Saia-&-Blusa”, ou seja, uma cor na parte abaixo do friso outra acima como visto a esquerda.

Ano de 1992. Hoje em Fortaleza, entrar pela frente só em veículos em testeso Hibribus de Curitiba estreou lá.

Isso bem corrigido, vou falar agora então da segunda padronização, a que vemos mais pra cima na página:

Com o veículo inteiro branco cortado por uma faixa em zigue-zague, adornado por temas indígenas.

Nesse ciclo eram os dois últimos números que são em cor diferente. Não importa. Igualmente há o modelo, exclusivo da Costa Norte, de colocar dois dígitos em cor diferente.

Como no Maranhão, na capital do Pará houve ainda mais uma padronização depois disso. E no modelo atual não há mais o traço característico da Costa Norte de ter prefixo (ou sufixo) em outra tonalidade.

manaus-am3……….

Repetindo, Manaus não é Costa Norte. Mas por influência de Belém adotou o prefixo em outra cor.

Lá, como em Teresina, houve a padronização de pintura mas essa característica foi mantida.

fortaleza-ce

2ª padronização de Fortaleza.

Vemos ônibus manauaras ainda na livre, e na foto acima agora já no padrão, os dois 1ºs dígitos em vermelho, os demais em preto.

………..

Tem mais: em Fortaleza, São Luís e Belém as viações se denominam “Autoviária”. Mas um ponto em comum que as une.

novo

3ª e atual padronização de Fortaleza.

Tudo somado: a ‘Costa Norte’ é o eixo Fortaleza-Belém.

São os estados brasileiros em que o mar é a Norte.

E não a Leste ou Sul, como de Natal-Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul e mais o Amapá.

Mas além dessa característica física, há semelhanças no modo de vida das pessoas.

Essa eu tirei pessoalmente no Aeroporto de Fortaleza, agosto/2011.

A busologia prova que há uma Vibração em comum, que as cidades pulsam na mesma Sintonia.

…………

E essa Energia, subindo o Grande Rio Amazonas, chegou a Manaus.

Alias, não foi apenas pro interior da Amazônia que a Costa Norte transbordou. E sim também pro coração geográfico da Pátria Amada.

taguatur: opera em brasília/goiás, piauí e maranhão. e por um bom tempo com a mesma pintura nas 3
manaus-am2

Próximas 3: Manaus ainda pintura livre. Esses não são Taguatur, essa viação não opera no Amazonas.

Mostro veículos da Grande Brasília com o mesmo sistema do prefixo em cor diferente.

Há uma viação, a Taguatur, que opera tanto na capital federal quanto no Piauí e Maranhão.

Quando era pintura livre nas 3 com o veículo inteiro no mesmo tom de azul (em Brasília com uma faixa branca).

E o prefixo em cor diferente, trazendo o sabor da Costa Norte pro Centro-Oeste.

No caso específico de Brasília, a Taguatur liga o Centrão da capital (Rodoviária P.P.) a Zona Oeste deuniao cascavel manaus sua região metropolitana:

Os municípios de Águas Lindas e Santo Antônio do Descoberto, já no estado de Goiás.

Embora tenha sido fundada em Brasília, a sede hoje é em São Luiz.

manaus-am1

Manaus. Placa começa com ‘B’ e quase no vidro porque foi emplacado em SP, mas chegou zero km a Amazônia.

…….

Abaixo vemos respectivamente:

Brasília, São Luiz e Teresina.

Os Taguatur com a mesma pintura em todas.

E sempre o prefixo em branco, os demais números em preto.

Clique sobre as fotos pra ampliá-las, o mesmo vale pra todas.

Taguatur df3Taguatur S. LuisTaguatur Teresina

………

teresina-pi1

Em testes em Teresina, por isso todo alvo. O prefixo também é branco.

Na verdade, digo de novo, Belém (veja matéria específica com muitas fotos) e São Luiz já mudaram as pinturas de seus sistemas de transporte.

E hoje nem adotam mais esse modelo inventado no Ceará de colocar os dois primeiros números de cor diferente.

Em Teresina, Fortaleza, Manaus e Brasília ainda permanece, em graus variáveis. As duas últimas nem são da Costa Norte, importaram essa característica pelos motivos citados.

O I-Ching nos esclarece que o Universo está em constante mutação, e aqui não foi diferente.

iracema fortaleza

Próximas 2: ainda pintura livre em Fortaleza. Esse é Iracema.

O que importa é que houve uma época, entre os anos 90 e começo do 2000, que as capitais do Ceará, Piauí, Maranhão e Pará tiveram esse traço em comum simultaneamente.

Atingindo mesmo o Amazonas e Distrito Federal.

……….

A Costa Norte tem sua cultura própria através dos ônibus, que é um assunto que entendo.

fortaleza-ce3Mas vai muito além desse ponto, é claro.

Quem foca sua atenção a outros nuances da manifestação humana e visitar essas capitais encontrará outros quesitos que elas têm em comum.

sao luiz-ma

Busscar da ‘Autoviária‘ Matos ainda na pintura livre em São Luís. Usar esse termo pra designar ‘viação‘ é outro traço da Costa Norte.

Poderíamos citar o futebol. Fortaleza e Belém são muito entrelaçadas, nessa dimensão também.

Já iniciei a subida pra rede a série completa de minha viagem ao Ceará, onde abordo isso com ainda mais detalhes.

………

Fortaleza abre a transição entre o Nordeste e o Norte brasileiros. É claro que essa cidade ainda é bem ligada ao Nordeste, em termos de raça, de cultura.

Já Teresina nem tanto. Nem é no mar, pra começar a conversa. A única das 9 capitais do Nordeste que não é no litoral.

teresina-pi2

Aqui e a direita: Teresina passando da pintura livre (a lateral do veículo) pra padronizada (a frente em verde-claro e a faixa vertical verde-escura). O prefixo permanece de cor diferente dos outros números.

E o Maranhão está mais pra Norte que pra Nordeste. Tanto que o DDD de São Luiz é 98. Os números dizem tudo.

O DDD de Fortaleza é 85. O de Recife é 81. O de Belém é 91, e o de Manaus 92.

Ou seja, pelo menos pro Ministério das Comunicações o Maranhão está no Norte, e não no Nordeste.

Transição é exatamente isso, não é mesmo? Um pouco dos dois mundos.

Por isso a Costa Norte, uma entidade que interpenetra o Nordeste e a Amazônia, interligando-os.

teresina-pi3

Pintura meio livre/meio padronizada. Leia matéria específica.

Aqui retratada pelos ônibus. Em outras mensagens abordamos também outros aspectos dessa manifestação.

………….

Antes de encerrarmos mais fotos.

A sequência horizontal abaixo mostra respectivamente:

As seis 1ªs são de Fortaleza. De 1 a 4 os CTC’s na primeira padronização (incluso um articulado); 5) Mesma época, viação privada; e 6) também particular, atual.

Belem - Costa Norte

2ª padronização de Belém.

7) São Luiz padronizando a pintura. Quando implantou os terminais (a foto é dentro de um deles) a capital do Maranhão dividiu a cidade por faixas.

Os ônibus se tornaram unicolores, no tom da região que operam.

Há verde-claros, vermelhos, amarelos, e creio que também outras cores. Mas no início, como notam, manteve-se o prefixo diferenciado em relação ao resto da numeração.

Teresina - Costa Norte8 e 9) Mais 2 Taguatur que ligam o Centro de Brasília a seus subúrbios metropolitanos que já ficam no estado de Goiás.

E A direita: Teresina já na pintura padronizada, inteira verde-claro.

A característica da Costa Norte do prefixo em outra cor está honrada.

articulado ctcCosta Nortectc3fortalezanovo1Sao Luiz - Costa NorteTaguatur BrasiliaTaguatur df

Que Deus ilumine a todos.

Deus proverá”          

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s