a “Mãe de Deus”: Manaus, Amazonas

Ponta Negra - Zona Oeste - Manaus

Ponta Negra (clicada por mim)

Por Maurílio Mendes, O Mensageiro

Publicado em 3 de outubro de 2010 

Relato de minha viagem a Manaus, setembro de 2010.

…………

Meu Trabalho como ‘Mensageiro’ começou justamente em 2010 (até 2015 só por emeio). A viagem pro Amazonas foi a 1ª em que eu fiz uma reportagem.

Por ter sido a pioneira, o material produzido foi pequeno, eu ainda estava pegando o jeito. Há apenas esse texto, e não uma série como ocorre de 2011 em diante.

Bairro Educandos Z-Central rede1

Palafitas sobre o Rio no bairro Educandos, Zona Central. Veja quanta casa de madeira.

As imagens também são esparsas, 11 que eu tirei pessoalmente – sendo só 9 de Manaus mesmo, e mais 2 de Cuiabá-MT que captei de dentro do avião.

Há mais algumas fotos puxadas da rede. Eu informo na legenda as que são de minha autoria. Se não disser nada são baixadas da internet.

………..

Comecemos pelos nomes. Como é sabido, as amazonas, na mitologia grega, eram uma tribo guerreira composta exclusivamente por Mulheres.

Se encontravam com Homens apenas uma vez por ano, pra fins de procriação, mas só mantinham os bebês do sexo feminino.

O Porto no Centro é na prática a rodoviária da cidade (minha autoria) .

Os meninos eram assassinados ou devolvidos ao pai, as fontes divergem nesse ponto.

Elas tinham exímio sobre as artes de guerrear (chegavam a amputar um de seus seios pra poderem manejar melhor o arco e flecha).

Bem como pra cavalgar – até por isso, o feminino de ‘cavaleiro’ é amazona, Mulher que anda a cavalo. Os especialistas discutem se há base real pra essa lenda.

E onde o Brasil entra nisso? Segundo se conta, quando os primeiros europeus chegaram a região, viram índios Homens cavalgando.

Mas por eles terem os cabelos compridos e soltos, os brancos a primeira vista imaginaram tratar-se de Mulheres, as amazonas da mitologia.

Assim foi batizado o rio, e por consequência, o estado. Melhor dizendo, os estados, pois além do Brasil, Venezuela, Peru e Colômbia têm estados chamados ‘Amazonas’.

…………

Sagrado Grande Rio Amazonas, nesse ponto ainda chamado ‘Rio Negro’. Foto tirada por mim na Ponta Negra.

Já Manaus é corruptela de Manaós, grupo indígena que povoava a região. A palavra que originou o nome da tribo é Manôa, que significa ‘Mãe de Deus’ em sua língua.

Há uma vila chamada ‘Conjunto Manoa’ na Cidade Nova, Zona Norte. Manaus só tem as Zonas Central, Leste, Oeste e Norte.

Não há Zona Sul na cidade, pois esta é o rio.  Digo, lá se fala em ‘Zona Centro-Sul’ pra região do bairro Educandos e entorno. 

Eu respeito os costumes locais, e por isso estou registrando essa informação.

Ponta Negra Z-O rede

Ponta Negra.

Mas, como eu disse no texto sobre Belo Horizonte-MG, eu só divido as cidades em Zonas Central, Leste, Sul, Oeste e Norte.

Não há ‘Zona Noroeste’ nem ‘Centro-Sul’ em meu léxico. Assim a Zona Centro-Sul de Manaus será referida aqui como ‘Zona Central’.

………….

A parte mais rica é a Zona Oeste. No extremo oeste da cidade, fora dela propriamente dita, está a Ponta Negra. A semelhança com a Barra da Tijuca carioca ou com o ‘Ecoville’ curitibano é óbvia, e proposital.

Um bairro fora da cidade, a oeste dela, planejado pra abrigar os melhores prédios. No Rio, tudo isso a beira-mar, e em Manaus, a beira-rio. Mesmo além da Ponta Negra, a Zona Oeste é a parte mais rica da cidade.

Cais do Porto, minha autoria. O barco que está no meio do rio, no alto a esquerda na imagem, é um posto de gasolina. Sim, um posto flutuante. Bandeira Petrobrás.

O que não impede que até esse pedaço de Manaus tenha grandes bolsões de pobreza.

Como pode se ver por exemplo nas piores partes dos bairros Compensa, Lírio do Vale e Redenção.

Só que como tudo tem que ser posto em perspectiva, as Zonas Leste e Norte são bem mais depauperadas.

Na Zona Central também há alguns bairros de classe média e até de classe alta. Exemplo dessa última categoria é o bairro de Adrianópolis:

Uma parte mais alta, próxima ao Centro, extremamente desenvolvida, escolhida pela elite que prefere morar próximo ao núcleo da cidade. Vemos várias tomadas dele, puxadas da net.

Seja como for, a cidade no geral é muito pobre, quase metade da população mora em favelas ou em vilas bem degradadas.

Há favelas de todos os tipos: em morros, em fundo de vale e muitas palafitas sobre os riachos – em alguns casos os 3 tipos são vistos no mesmo local.

Fotografei um hotel de luxo em construção no fim da Ponta Negra.

Como comparação, 10% da população do município de Curitiba mora em favelas.

Percentual que sobe pra 15% na Grande Curitiba, pois os municípios satélites são bem mais pobres que o núcleo, como é notório.

Manaus por sua vez não tem região metropolitana. E mesmo na sua área central há muitas favelas, mas estas estão sendo urbanizadas, em um ritmo intenso.

Dezenas de milhares de famílias foram retiradas das margens dos rios e transferidas pra novos conjuntos habitacionais.

manaus

Adrianópolis, bairro de padrão elevado na Zona Central.

Até a copa (Manaus é uma das sedes, se alguém não sabe), o anel mais próximo ao Centro da cidade estará isento de favelas.

Na periferia a coisa está bem feia, e nesse ritmo se levariam bem uns 50 anos pra urbanizar tudo.

Mas como os turistas não vão nos bairros que eu fui, não irão notar isso.

Lembre-se que o texto é de 2010. Não sei como avançou a urbanização das favelas de lá pra cá. Relato o que vi na ocasião.

Alias nisso como em tudo meu olhar é sempre forasteiro e superficial, resultado do pouquíssimo tempo que fiquei lá, apenas 4 dias. Se alguém que conheça melhor Manaus tiver uma retificação ou ampliação a fazer escreva nos comentários ou por emeio.

……….

O sistema de transporte é relativamente bem planejado, há 5 terminais que cobrem toda a cidade.

Embora os ônibus estejam de fato caindo aos pedaços (creio que uns 10 a 20% no máximo da frota de lá seria liberado pra rodar pelo padrão aplicado em Curitiba ou em São Paulo).

Ponta Negra - Zona Oeste

Linha de prédios da Ponta Negra, clicada por mim.

Além disso há integração no cartão, você desce de um busão e pega outro sem pagar de novo, no meio da rua, não precisa terminal. 

Em Manaus de qualquer parte a qualquer parte a cidade só se paga uma passagem.

…………

Teatro Amazonas

Teatro Amazonas.

O que é realidade igualmente em São Paulo (e todas as outras cidades em haja integração no cartão). 

E também Curitiba, porém ressalvando que aqui não há integração no cartão, então há ‘zonas de sombra’, a principal delas o bairro do Pilarzinho, Zona Norte.

Mas não é em Porto Alegre-RS e no Rio de Janeiro, por exemplo.

Pra copa Manaus planeja construir um bonde moderno, pelo menos entre o Centro e o aeroporto – o trajeto passa em frente ao estádio onde serão os jogos.

Atualização. De fato em 2010 a situação dos ônibus de Manaus era catastrófica. Mas desde então houve grande modernização e renovação. Chegaram centenas de busos, sendo dezenas de articulados. A pintura foi padronizada, o que não era quando fui lá.

O Rio no bairro Educandos.

Já o bonde moderno não saiu do papel. Outra coisa:

O Rio e Porto Alegre também investiram na melhoria do transporte. Na capital gaúcha agora há integração no cartão, portanto se pega dois ônibus com uma passagem.

No Rio também houve esse avanço, e muitos outros: padronizaram a pintura, construíram uma extensa rede de corredores exclusivos operados por articulados com embarque em nível.

Enfim, o Rio e Manaus foram duas das cidades que mais avançaram nessa última meia década. Volta agora o texto original de 2010:

encontro-Negro-e-Solimões-Manaus

Encontro do Rio Negro e Solimões

Anteriormente houve transporte clandestino em Manaus.

Situação que se repetia em todas as capitais e grandes cidades do Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Norte de nosso país.

Apenas aqui na região Sul não houve esse fenômeno.

Mas agora, em Manaus e em diversas outras cidades, isso foi regularizado. Os transportadores clandestinos formaram cooperativas. Continuam trabalhando, e agora inseridos no sistema.

Precisam fazer manutenção de seus veículos, aceitar o cartão eletrônico de vale-transporte e cumprir horários e trajetos pré-estabelecidos, exatamente como as empresas de ônibus.

…………

Ainda na Ponta Negra. Clique pra ampliar e verá que fotografei uma ponte em construção lá no fundo. Isso em 2010. Agora já está funcionando.

Andando pelo cidade tive a impressão que a grande maioria dos manauaras são evangélicos tamanha é a quantia de igrejas e adereços aluzindo a isso.

Mas não tenho os números do censo pra dar a quantia exata. É uma observação empírica.

Há diversos comércios espalhados pela cidade com o nome de “Jesus Me Deu”. De tão comum, virou até uma vila e nome de uma linha de ônibus.

………….

No futebol, a religião da maioria de lá é definitivamente o Flamengo. Cerca de 50% da cidade é flamenguista, número maior que no Rio, proporcionalmente.

educandos manaus

Bairro Educandos – essa imagem capta bem o ciclo que Manaus vem passando na década de 10: ainda há muita miséria, mas estão fazendo um esforço hercúleo de urbanização.

Fui em um dos bairros da periferia mais afastada no sábado a tarde, chamado Mauazinho, no extremo da Zona Leste, já fora da cidade. O Flamengo estava jogando.

Era verdadeiramente impressionante a concentração de pessoas nos bares, pra verem o jogo pela TV.

No trajeto de volta ao Centro, passei por bairros mais abastados, onde também era muito grande a multidão em frente a TV.

O segundo time no coração do Amazonas é seu arqui-rival, o Vasco. Em ciclos anteriores, Manaus era um satélite futebolístico do Rio de Janeiro, quando então as 4 maiores torcidas de lá eram os 4 do Rio.

Essa já não é mais a realidade. Flamengo e Vasco continuam sendo os 2 times mais populares, sem dúvida, mas São Paulo e Corinthians hoje tem bem mais torcida por lá que Fluminense e Botafogo.

Claro que ainda há muitos seguidores desses dois cariocas, mas já menos que os grandes paulistas.

Bar pra turistas na Ponta Negra. O prédio ao fundo é o hotel, melhor visto em tomada acima. Fui eu quem cliquei.

Comprovei isso na prática. E na 4ª feira, no dia que cheguei, o São Paulo venceu o time ‘da casa’, o Flamengo.

(Campeonato Brasileiro de 2010. A partida não foi em Manaus, e sim no Sudeste. O ‘da casa’ se refere a que eu estava no Amazonas, e a maioria dos amazonenses é flamenguista.)

Assim, dia seguinte vi uma multidão de pessoas com a camisa do São Paulo, além de uma quantia enorme do Flamengo.

Embora ele tenha sido derrotado nesse jogo, mas pra paixão popular pouco importa.

………

A maioria da população de Manaus é indígena.

O tipo médio é bem escuro, mas não o sangue africano predominante em Salvador-BA. Ainda assim, há muitos afro-descendentes em Manaus, e também bastante brancos. Muitas pessoas do Nordeste emigraram pra lá, bem como de diversas outras partes do Brasil.

Praia da Ponta Negra - rede

Outra da praia fluvial da P. Negra.

Pelo nome dos comércios na periferia, é nítido que há muitos goianos morando em Manaus, e bastante gente do Sul também.

Nesse último caso, os sulistas, em sua maioria, não foram diretamente. Quando deixaram nossa região, foram abrir a fronteira agrícola.

No Mato Grosso e Rondônia. Na época, anos 70 e 80, precisava-se de muita mão de obra braçal.

Hoje, porém, por lá predominam enormes latifúndios de soja e de gado, então muitos sulistas que ajudaram nosso país na ‘corrida por Oeste’ perderam seu sustento no campo.

Veremos mais 2 do Porto: essa fui eu quem tirei. Amplie pra ver que abaixo do barco estão alguns urubus, e bastante lixo.

Centenas de milhares deles moram agora nas cidades, e uma parte deles em Manaus.

Por exemplo, há uma rede de farmácias ‘Curitiba’, vi 3 filiais, sempre em bairros mais humildes. O que comprova a presença de paranaenses por lá. 

Exemplifica esse último movimento migratório (Sul-Amazonas via Rondônia) a empresa de ônibus União Cascavel (Eucatur). 

Que é uma das maiores do transporte urbano de Manaus. A origem é em Cascavel-PR como o nome indica, mas hoje a sede é em Rondônia.

Há uma filial que opera transporte urbano na capital do Amazonas, como acabei de dizer.

…………

Porto Centro rede

E essa veio da net.

Há muitas casas de madeira na periferia de Manaus. No Norte de nossa Pátria Amada esse modal é tão usado quanto no Sul.

Já escrevi diversas vezes: com poucas exceções, quase não há casas de madeira no Sudeste, no Nordeste e nem em boa parte do Centro-Oeste (Brasília e Goiás). 

Já fiz radiografia completa do tema a nível continental, confira. 

………

Falando em América: na composição racial como em muitas outras coisas, Manaus lembra muito o Peru.

Educandos

Educandos, uma síntese perfeita da periferia de Manaus

Não fosse o português o idioma, eu pensaria que aterrissei por engano no Aeroporto Internacional Jorge Chávez, em Lima.

São duas cidades americanas por excelência, bem menos europeizadas que Curitiba e São Paulo.

Manaus, por sua semelhança racial e cultural com os irmãos que falam espanhol, é o coração da nossa querida América. Nem preciso lembrar que América é um continente, e não um país. 

anoitecer-no-rio-negro

Anoitecer no Rio Negro, com a ponte já mostrada acima.

………….

Voltando a periferia de Manaus, é preciso reconhecer que está sendo feito algum esforço pra se urbanizar também o subúrbio.

Quase toda a cidade foi asfaltada, é difícil ver ruas de terra, mesmo nos arrebaldes mais distantes.

Só que não foi feita a rede de esgoto, o que ocasiona dois problemas. 1) é extremamente comum ver esgoto a céu aberto correndo nas ruas agora asfaltadas.

2) em alguns lugares, quando a rede de esgoto foi feita após o asfaltamento, não se recapeou o asfalto, e como lá a vegetação cresce muito rapidamente, vi muitas ruas em que há asfalto em meia pista.

Por onde os carros se espremem pra passar, enquanto a outra está tomada por buracos ou mesmo por um matagal, deixando o aspecto muito pior de quando não havia asfalto.

Infelizmente, devo dizer que as pessoas ainda jogam muito lixo nas ruas. No Porto no Rio Amazonas, e nos riachos do subúrbio, por vezes há bastante dejetos.

bairro-Adrianopolis-Manaus

Agora solto 3 de Adrianópolis.

……….

A cidade é muito quente, embora quando eu fui havia uma onda de frio – padrão amazonense, é claro.

Assim, a temperatura estava por volta dos 35º. Fora isso, a temperatura supera tranquilamente os 40º.

Manaus está no meio da floresta amazônica. Tanto em bairros ricos quanto pobres, as vezes a cidade acaba e você se vê no meio da maior floresta do mundo.

Talvez por conta disso o peixe é a base da alimentação local, o consumo per capita é o maior do Brasil. Já que é mais fácil e barato pescar que importar carne bovina.

A Região Norte de nosso país está passando por uma seca gravíssima esse ano (2010). O Rio Amazonas está em níveis recordes negativos, como devem estar vendo as manchetes pela imprensa.

……….

bairro-Adrianopolis-Manaus1Vamos agora discorrer sobre algumas fotos. Você sabe, nem sempre a descrição corresponde a imagem que está ao lado. Busque pelas legendas, que estão corretas. 

Comecemos pela Ponta Negra, bairro mais rico da cidade e uma de suas grandes atrações turísticas.

Veja os prédios na Estrada da Ponta Negra, a avenida que margeia a orla. Vamos agora girar a câmera e foca-la na praia. Aí vão fotos do rio em si, outras da praia (ao fundo a construção de uma ponte, agora já inaugurada).

E então vemos uma foto de um hotel de luxo, situado no ponto mais ocidental da área urbanizada de Manaus.

Onde me hospedei o padrão era beeem mais modesto, pode ter certeza. Eu fiquei no Centro. Por fim, um bar, um dos muitos que existem entre a avenida e a barranca do rio.

Um detalhe é que os amazônidas não têm o costume de comer batata-frita, que por isso dificilmente é servida no Centro.

Nesses bares a beira-rio, como vão muitos turistas, o prato é oferecido, mas por um valor bem elevado. Descobri isso na prática nesse dia.

…………..

Algumas fotos do porto, no Centro da cidade. Não do porto de navios de grande porte, como há em Paranaguá-PR e tantas outras cidades. Há um desses também em Manaus, mas não o visitei.

As fotos são do local onde atracam embarcações pequenas e médias. O Amazonas ainda está no estágio de civilização fluvial. O estado quase não tem estradas.

ponta negra

Ponta Negra na época das cheias. A água subiu e submergiu a faixa de areia.

Pra se chegar em Manaus de carro a partir de qualquer outra parte do Brasil que não seja Roraima precisa ser via Porto Velho.

A BR-319 é asfaltada e transitável todo ano até a capital de Rondônia. De Porto Velho a Manaus, no entanto, a via é de chão batido.

E só pode ser percorrida nos meses de seca, e ainda assim com muitas dificuldades.

Palafitas no Educandos na época das secas. Quando eu fui estava assim. Mas a foto não é minha, puxei da rede.

Não há, digo de novo, estradas pro interior do Amazonas, com exceção das cidades mais próximas da capital.

Em Manaus, alias, vivem mais de 50% dos amazonenses. A comunicação com o interior é fluvial. O porto é a verdadeira rodoviária da cidade.

Talvez não dê pra ler, mas nos barcos há cartazes indicando o destino. Por exemplo “Boca do Acre, sai hoje”, ou “parte amanhã pra Belém”.

Além das pessoas, todas as cargas entre o interior e a capital vão e vem de barco. Não por acaso, o mercado municipal é em frente ao porto.

educandos1

Agora veja o mesmo bairro na cheia do Rio. A água sobe todos aqueles metros que estão estacados na areia.

Os barcos que sobem ou descem o Amazonas e/ou seus afluentes levam a carga em baixo, de todos os tipos:

Alimento, cimento, roupas e em um caso vi até um carro no porão do navio. Em cima vão as pessoas. Os que podem pagar dormem em quartos, com ar-condicionado e banheiro privativo.

Os outros vão em redes no convés, com banheiro coletivo e a brisa fluvial pra amainar o tórrido calor equatorial amazônico.

……..

O consolo é que em Manaus não há pernilongos. O ph da água impede a procriação desse inseto, o que é uma benção de Deus.

Pois a imensa maioria dos manauaras não podem se dar ao luxo de ter ar-condicionado em casa, sendo então humanamente impossível dormir com as janelas fechadas.

Voltemos a atenção pra um detalhe curiosíssimo numa foto no alto da matéria. Aquele barco atrás dos que estão ancorados é um posto de gasolina. É isso mesmo, os postos ficam no meio do rio.

……….

Só pra encerrar, duas fotos da Grande Cuiabá, onde o avião fez escala. De minha autoria.

A esquerda mostra a linha de prédios da Zona Central, e a segunda um bairro periférico próximo ao Aeroporto, que já fica no vizinho município de Várzea Grande.

…………

Aqui fecha o primeiro emeio. Agora vou adicionar as partes mais relevantes de um outro, publicado em 7 de março de 2013.

Repetindo, o nome vem de Manôa, “A Mãe de Deus”, ou “Deus-Mãe”, Deus em sua forma feminina na língua indígena local.

Por lá é quente o ano inteiro. De janeiro a janeiro é 40º fácil, fácil. Assim as estações do ano são só duas, e não se referem a variação de temperatura – inexistente – mas de precipitação – essa bem aguda.

A Amazônia é uma civilização fluvial, não de todo integrada a civilização ariana, que é terrestre.

ponta negra1

Ponta Negra

Quase toda cidade tem um rio. Em Manaus, entretanto, é o Rio quem tem a cidade.

Pois a Consciência Amazônica vê o mundo de forma distinta da ariana. Assim até a delimitação das estações do ano tem como base o Rio.

O primeiro semestre é as estação das chuvas, quando o curso fluvial está cheio.

O segundo, por oposição, é a época da seca, quando o Rio Amazonas (nesse ponto ainda chamado Rio Negro) baixa.

Alias, falando nisso, o Sul do Brasil também tem seu Rio Negro.

………

De volta ao Norte: Manaus é uma cidade única, pois só tem praia de maneira sazonal. Isso que estão vendo ali, pessoas na areia, só é possível de julho a novembro.

Nos outros meses o Rio enche e tudo fica embaixo d’água. Aí só há a margem do rio, como em qualquer margem de rio, sem faixa de areia, sem praia.

Como estive ali em setembro, pude me banhar nas Águas Sagradas do Rio Negro/Amazonas. Eu Sou muito ligado aos Rios, e não por outro motivo moro na margem do Maior Rio Curitibano. Por isso me foi um Auto-Batismo entrar no Amazonas, maior Rio da América e 2º de toda Terra.

Essa praia, repetindo, fica no bairro da Ponta Negra, o mais rico da cidade, no extremo da Zona Oeste.

bairro-adrianopolis-manaus (1)

Adrianópolis

No Centro ficam os portos, descritos mais pro alto da matéria. Logo ao lado, após a barra (foz) de mais um rio, chegamos ao bairro Educandos, Zona Central de Manaus.

É o que estão vendo, enormes favelas, a parte menos miserável ao menos é em terra firme, já os mais despossuídos residem nas palafitas nas barrancas do Rio e mesmo já dentro dele.

Veem imagens tomadas tanto na época das cheias quanto das secas, pra comparar. Quando fui pessoalmente as favelas do Educandos, a água estava 6 metros mais baixa do as casas, que então estavam suspensas através de estacas sobre um lodo. Quando o Rio sobe chega a porta das moradias.

Mauazinho

Avenida no Bairro Mauazinho, periferia da Zona Leste

…………….

Das palafitas de Educandos e Mauazinho aos edifícios luxuosos Ponta Negra e Adrianópolis.

“Mãe de Deus”, Coração da América. Manaus, Amazonas.

Deus proverá”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s