“Puxadinho no prédio”??? Opa, Santiago também é América. E como é!!!

#1puxadinho predio cohab z-o

Maipú, Z/O de Santiago: puxadinho no prédio. O cara mora no segundo andar. Mas isso não impediu de erguer mais um cômodo. Num prédio, você já viu isso? No Chile é comum.

Por Maurílio Mendes, ‘O Mensageiro’

Publicado em 19 de agosto de 2015

Com esse texto fechamos a série sobre o Chile.

Vamos falar claramente:

A mídia capitalista criou um mantra que esse país é altissimamente desenvolvido.

Nada poderia ser mais distante da realidade:

O Chile é uma nação americana (por isso quero dizer latino-americana).

#1valpo isto e chile

Bairro São Roque, Valparaíso. O Chile resumido numa imagem: favela no morro, sobrado artesanal bi-modal (embaixo alvenaria, acima de latão), porta direto pra rua, casinha pro cachorro que vive na rua mas é cuidado por alguém, céu sem nuvens (porque quase nunca chove), rua de cimento e poste pintado por torcida de futebol.

Tanto quanto Brasil, Colômbia, México, etc, com tudo que isso implica.

Sim, é verdade: a capital Santiago quase não tem favelas. São cerca de apenas 10.

Pra uma população de mais de 5 milhões de pessoas, não está nada mal.

Isso porque ela foi intensamente re-urbanizada no governo Pinochet e sub-sequentes.

Urbanisticamente falando é uma cidade inglesa.

Sua periferia é composta quase inteira de conjuntinhos geminados, seja de casas térreas ou sobrados.

camelos - centro stgo

Muitos camelôs nas ruas: há muita miséria e desemprego em Santiago, mas é varrido pra baixo do tapete. Essa foto é no Centrão.

É de fato impressionante, parece que você está em Manchester, Liverpool ou Dublim.

E o índice de assassinatos é pequeno. Isso também é um fato.

………..

Agora, isso não torna o Chile uma nação europeia em plena América.

Como querem falsamente vender essa ideia.

puxadinho predio cohab z-o1

Isso é Chile, amigos. Foto em Maipú.

Eu te digo porque:

– Primeiro, mesmo quase não tendo favelas Santiago tem muita miséria.

Assim que o lixo é colocado nas ruas do Centro, uma multidão de miseráveis surge do nada e rasga os sacos.

Tentando achar algo que possa ser vendido.

grades z-l

Ao contrário do que diz a mídia, Santiago é uma cidade muito violenta. Se os assassinatos são raros, os assaltos são comuns. Várias lojinhas na periferia são gradeadas, eu mesmo fui atendido algumas vezes assim lá. Imagem tomada na Zona Leste.

Tem mais: a cidade tem muitos camelôs. Alguns no Centro, mas muitos mais nos subúrbios afastados.

É um sintoma clássico de desemprego ou sub-emprego elevado. Se você conhece o México, sabe o que quero dizer.

Segundo, e consequência de uma alta desigualdade social varrida pra baixo do tapete.

Se há poucos assassinatos – e isso é muito bom, óbvio – não significa que a cidade não seja violenta.

Exatamente ao contrário. O índice de roubos e furtos é altíssimo.

grades z-c stgo

Prédio no Centro de Santiago. Veja as grades altas e pontudas. Mas não é suficiente. Até os apês do segundo andar têm suas próprias grades nas janelas. Sempre é bom garantir, né?

As casas chilenas têm tantas grades e cercas elétricas quanto no Brasil. Não é necessário explicar além disso.

Em alguns quesitos chega a ser pior que no Brasil. Em Santiago é infinitamente comum os comércios atenderem gradeados.

Sabe, já rodei uma boa porção do Brasil e da América.

Certamente onde esse fenômeno é mais comum entre as partes que já estive são no México, Colômbia e Belém (já está no ar mais uma matéria sobre a capital do Pará, onde abordo melhor esse tema).

Em Santiago há menos lojas gradeadas que nesses 3 lugares.

A Colômbia amenizou muito sua guerra civil. Mas eu diria que em termos de assaltos, de criminalidade comum, é a que está pior de todos, é onde há mais grades nas lojas. No México e Chile, olhe, está quase empatando.

muitas grades clasase media-alta z-l

Bairro de classe média-alta na Z/L de Santiago, mesma situação: grades altas e pontudas na entrada, nas janelas do 1º e 2º andares do sobrado. Mas não para por aí: até a porta tem uma segunda porta de grade de metal, pra evitar arrombamento. Isso é comum no Chile, como veremos em outras fotos.

E em Santiago certamente há muito mais que em todas as outras metrópoles brasileiras, República Dominicana e Paraguai.

Muito mais, sem comparação possível.

– 3º, é só Santiago que tem poucas favelas.

As cidades do interior têm centenas delas. Fui em Valparaíso (2ª maior metrópole da nação) e comprovei pessoalmente.

Não tive a oportunidade de visitar Concepção, a 3ª maior, mas um colega que lá esteve me relatou que a situação é a mesma.

…….rap - z-c

4º e mais importante: em espírito, Santiago é totalmente americana.

Totalmente. Pra começar, ouve-se muito ‘rap’, como em toda América.

andes z-l las palmas

‘Las Palmas’, região abastada da Z/L. Ao fundo os prédios da Z/C

Na Argentina (o que em termos de Energia inclui seus satélites culturais Paraguai e Uruguai) e também na Bolívia quase não se ouve ‘rap’.

Musicalmente esses países se desgarraram da América, têm sua própria vibração espiritual.

Pois bem. O Chile não é satélite da Argentina, e portanto não vibra com ela.

O Chile pulsa com a América. Veja a direita o cartaz de uma apresentação.

vengo

CD de Ana Tijoux, repeira chilena que bomba por lá. Interessante e polêmica essa imagem de uma guerrilheira amamentando. Bem, o Chile tem uma insurreição ativa, ela pegou carona nessa onda.

…………

Mas a bomba mais forte está por vir:

Em Santiago é muito comum ‘puxadinho’ em prédio.

É uma característica das raças escuras:

Adaptar as casas, erguendo novos andares por conta. Ou ampliar pro lado, fazer mais uma peça ou uma edícula na frente.

Isso existe em toda América Latina, África e maior parte da Ásia.

É inaugurado um conjunto habitacional digamos aqui na periferia de Curitiba.

Assim que os moradores entram, já começam a mudar a arquitetura de suas moradias.

buso maipu z-o cor da z-l

Maipú é na Zona Oeste. Na divisão do Transantiago, o buso devia ser verde-escuro. Laranja é Z/ Leste. Aqui eu explico a distopia.

Se você passar lá 20 anos depois, não perceberá que aquilo era no início um conjuntinho padronizado.

Pois é tanto puxadinho que que cada casa tem uma cara diferente.

Onde predomina a raça branca não é assim, exatamente ao contrário.

Ninguém mexe no modelo da residência que recebeu.

Um ou outro pinta de cor diferente, mas ninguém ergue novos andares.

maipu

Rua principal do subúrbio de Maipú. Um rapaz com a camisa do Universidade Católica, 3º time do país em títulos e torcida. Ao lado diversos táxis-lotação, outro ponto em comum entre Chile e República Dominicana.

Ande (nem que seja pelo ‘google mapas’) pela periferia de Londres.

Ou Nova Iorque, ou qualquer outra cidade do eixo Europa-América do Norte-Oceania-Israel.

As casas são sempre iguaizinhas umas as outras. Sempre, nunca muda.

Passam 10 anos, tudo está igual, passam 20, 30 anos, você nota a ação do tempo, mas ninguém – eu enfatizo:

Ninguém encheu laje e subiu mais um andar por conta.

dois modais de emplacamento simultaneos

No Chile há dois modais de emplacamento, e eles convivem simultaneamente. Começa sempre com duas letras, e termina com dois números. Mas no meio podem ser 2 letras ou 2 números.

………..

AGORA AO VIVO: A ALMA DE UM POVO VOCÊ NÃO MUDA, JAMAIS –

Então puxadinho em casa é normal em 3 continentes, mesmo no Sul do Brasil que tem cultura relativamente europeizada.

Mas e puxadinho em prédio, você já viu? Sim, é o que estou afirmando: 

puxadinho1 predio cohab z-o

Maipú, Z/O de Santiago. Fotografei um prédio muito parecido perto da Cidade do Cabo, África do Sul.

Num edifício alguém faz mais um andar – ou mais um cômodo precariamente suspenso por uma viga mal-ajambrada e artesanalmente colocada !!! – por sua conta.

Sem alvará, sem arquiteto assinar, temeridade total.

Já viu? Pois eu já vi. Em 2 e somente 2 lugares: na República Dominicana e no Chile.

Agora, no Caribe existe mas é raro, presenciei dois casos somente. Mas no Chile é o padrão. Padrão, amigos.

condomínio elite las palmas z-l

Condomínio de elite em Las Palmas, extremo Leste de Santiago. Esse bairro já é na subida da Cordilheira. Diametralmente oposto a Maipú que está sendo falado ao lado, portanto.

Vá um dia ao bairro Maipú, na Zona Oeste de Santiago, e comprovará o que afirmo.

Todos os prédios tem puxadinhos. Quase todos, no mínimo.

Tem mais: na Rep. Dominicana os puxadinhos eram sempre de casos em que se ergueram mais um andar na cobertura do prédio.

Adicionou-se mais peso que a estrutura do edifício foi planejada pra suportar mas pelo menos não se desafia abertamente a lei da gravidade.

No entanto, esses cômodos suspensos ‘insustentável leveza do ser’ só existem mesmo no Chile.

cohab maipu1 z-o

Também em Maipú: o morador do térreo não fez puxadinho (ainda). Mas ele transformou o que seria área comum do condomínio em seu quintal particular, pôs até sofás (onde uma garota tira a sesta) que é pra ficar bem a vontade mesmo! Vamos ser justos, ocorre o mesmo no Brasil.

………..

Já seguimos com o texto. Vamos ver mais cenas de Maipú e imediações, Zona Oeste da cidade:

A avenida principal. Alguns conjuntos horizontais de classe média-baixa.

Na penúltima cena o posto de saúde, e na última se você ampliar poderá ler uma placa do governo que indica que a aquela cohab se chama ‘Vale da Esperança’.

Apenas uma das muitas cohabs de  Maipú.

A periferia de Santiago tem poucos prédios.

Edifícios altos na Zona Central pra classe média existem aos montes, tanto quanto no Brasil.

Mas conjuntinhos de 3 a 6 andares (os ‘pombais’) pra classe baixa e média-baixa são raros.

predio classe media z-o

Esse conjunto também é na Zona Oeste. Mas é de renda mais elevada. No Chile, como você diferencia os pombais de classe média dos do povão? É simples, entre os abastados não há puxadinho. Há uma porta saindo pro jardim no térreo. Mas ninguém tomou posse, não colocaram uma cadeira sequer na área comum de todos.

Ao contrário da República Dominicana e de boa parte dos EUA (Nova Iorque certamente, e até pouco tempo atrás também Chicago), em que o prédio é habitação típica da ralé, dos depauperados.

No Chile não é assim.

O subúrbio de Santiago é 90% horizontal, predominam de forma absoluta conjuntos de casas geminadas, sejam térreas ou sobrados.

Há prédios, mas são bem poucos. Isso nas Zonas Leste, Sul e Norte.

A Zona Oeste, com o epicentro em Maipú, é a exceção.

Ali os pombais são quem predominam, há dezenas de conjuntos desses predinhos um emendado no outro.

anoitece centro

Centro de Santiago

Em Maipú eu me senti de volta a Santo Domingo, ou a vez que fui aos guetos de Nova Iorque.

Ou se preferir exemplos brasileiros me senti no Rubem Berta, na Zona Norte de Porto Alegre-RS, ou na Cidade Tiradentes, na Z/L de SP.

………..

Clique sobre as fotos que elas aumentam, o mesmo vale pra todas.

centro de maipu z-ozona oeste serra ao fundozona oestezona oeste classe mediarua residencial z-opuxadinho predio cohab2 z-opuxadinho predio cohab1 z-opuxadinho predio cohab z-ocohab maipu z-ocohab1 maipu z-oconjunto geminado maipu z-ocohab maipu2 z-oavenida maipu z-oposto saude maipu z-opuxadinho cohab vale da esperança maipu z-o

………….

andes z-l las palmas2

Aqui e a direita, Las Palmas: muro muito alto, ainda assim guarnecido por várias camadas de cerca elétrica. Prova que o índice de roubos no Chile é igual ao Brasil.

As cenas falam por si mesmas. O que os caras fazem por lá até Deus duvida .. . .

Estudar arquitetura no Chile é um grande barato!!!

A coisa é tão forte lá que eu já havia percebido antes de visitar esse país.

Apenas andando por ele via ‘google’ mapas.

E mandei-lhes um emeio, os que já participavam de nosso canal de comunicação nessa época pioneira se lembram:

andes z-l las palmas1

Grossa camada de fuligem encobre a metrópole. Santiago é uma das cidades mais poluídas do planeta, por ser num vale cercado de montanhas.

Puxadinho no prédio? O Chile é América”. Ou algo assim, não lembro as palavras exatas mas o sentido era esse.

Vou me repetir ainda mais uma vez, pra que o negócio fique claríssimo.

No Brasil, Colômbia, México e Paraguai, que são países bem confusos de forma multi-dimensional, não existe isso.

Na Rep. Dominicana, que é um pedaço da África dessa lado do Oceano, existe mas muito pouco.

triplex lata periferia z-s

Zona Sul de Santiago: sobrado triplex artesanal. O andar de cima é de latão.

No Chile, e na “europeia” Santiago, existe aos montes.

Agora ao vivo. Puxadinho no prédio? E nessa proporção gigantesca?

Só uma conclusão é possível:

Se você gastar bilhões sobre bilhões, você pode reconstruir uma cidade como você queira.

Pode fazer centenas de milhares ou mesmo milhões de novas moradias, ao estilo inglês.

Sem tetos e pessoas na grama centrao

Sem-tetos no Centro de Santiago. Outra coisa: pessoas sentadas na grama, costume muito forte no país.

Isso foi feito em Santiago.

Entretanto, você só altera o plano material, a manifestação externa.

A Alma de um povo você não muda. Porque é isso que ele é, e nunca deixará de ser:

Santiago é América. De corpo não, mas de Alma sim.

bi-modal saida rua vinha

Sobrado bi-modal com saída direto pra rua em Vinha do Mar (Gde. Valparaíso).

E como é!!!

……….

Fui em Maipú.

Todas as cidades da Argentina e do Chile têm uma rua importante, ou mesmo um bairro chamado ‘Maipú’.

Você sabe o porquê?

vinha1

Na mesma rua em Vinha, tudo igual: bi-modal, porta na calçada. Repare que há uma porta de ferro, gradeada, em cada casa, pra evitar furtos.

Obviamente teria que ser algo que una a história desses dois países vizinhos. E assim de fato é.

Maipú é um monte na Cordilheira, na divisa entre ambos.

O Brasil teve sua independência da metrópole europeia tardia, porém pacífica.

Nos países hispânicos esse está longe de ser o caso.

Quando fui a Colômbia, vi que a guerra da independência lá foi cruel.

puxadinho predio cohab3 z-o

Outro puxadinho na cohab de Maipú.

…………….

O mesmo se deu na República Dominicana.

Se tornou independente, mas a Espanha não se conformou e re-ocupou a ilha.

Tendo sido necessária portanto segunda batalha secessionista.

Assim também foi no Chile. Após um triunfo inicial dos nativos, a Espanha reocupa a nação com força total.

puxadinho predio cohab z-o em andamento

Não para: aqui estão fazendo mais um.

Os portos estavam muito bem guardados, pois a Coroa Espanhola esperava que por ali chegasse reforço aos rebeldes.

Mas o general argentino São Martinho foi mais esperto que os comandantes do Real Exército Espanhol.

Ele comandava o ‘Exército dos Andes’ (argentinos que auxiliavam as demais nações americanas a se livrar da Espanha, como o venezuelano Bolívar fez mais ao norte).

E chegou por onde não se esperava: cruzou os Andes.

puxadinho predio centro

Até no Centrão de Santiago há ‘puxadinho no prédio‘. Pegaram a varanda no teto e subiram mais um andar na raça.

Foi uma travessia muito, muito difícil, afinal além dos soldados vieram as peças da artilharia, em lombos de mulas.

Mas valeu a pena. Ele pegou o inimigo no contra-flanco. A vitória na ‘Batalha de Maipú’ foi decisiva pra independência chilena.

E como é um feito com grande colaboração argentina, por isso o nome honrado dos dois lados da Cordilheira.

…………

auto-escola vinha

Carro de auto-escola em Vinha do Mar.

Os municípios no Chile são menores que no Brasil.

O município de Santiago pega apenas uma parte do Centro da cidade.

Se você caminhar umas quadras pra leste ou sul já entra em outra divisão administrativa.

Pra oeste e norte então é pior ainda, o município de Santiago é minúsculo nessas duas direções:

Mesmo no Centrão da metrópole já estamos em outros municípios.

camelos centro valpo

Camelôs ocupam todos os espaços disponíveis no Centro de Valparaíso. Atrás um dos famosos tróleis verdes.

Lhes falei em outra postagem que Santiago tem duas rodoviárias, uma secundária a oeste, a ‘dos Passarinhos’.

E a principal bem no Centro. Chama-se ‘Estação Central’. Anexa a estação de trens.

Pois bem. Esse é o nome não apenas da rodoferroviária, mas também do município que a contém.

Estranho, não? Você morar num município que se chama ‘Estação Central’. Mas é o que acontece.

E o próprio nome ‘central’ indica que estamos no coração da metrópole. mercado municipal

Pra norte o mesmo ocorre. Você está no Mercado Municipal. Quase no marco zero de Santiago.

(Adendo: Ali foi tirada a foto ao lado. Numa lanchonete se anuncia bem no alto: ‘ponto Bip’, ou seja, que faz recarga do cartão do ônibus/metrô.

zona sul placaSão milhares de pontos pela cidade, em cada mercadinho/banquinha.

É facílimo usar o cartão em Santiago, bem ao contrário de Curitiba.)

Volta o texto principal. Você está no Mercado.

Mas cruze o Rio Mapocho que você adentra o município de ‘Recoleta’.

Recoleta é Centro de Santiago. Mais Centrão impossível. Só que tem seu próprio prefeito.

patronato z-cAli fica o Patronato, um bairro similar ao Bom Retiro paulistano:

Centenas de lojas de roupa se enfileirando, vem gente do país inteiro comprar no atacado.

Como visto ao lado.

Imagina se o Bom Retiro não ficasse no município de São Paulo. patronato - placa z-c

E sim fosse uma unidade administrativa autônoma. Umbilicalmente ligado ao Centro, você vai a pé a Praça da Sé.

No Chile é assim que acontece. Nos EUA também.

Nesses países, o que aqui no Brasil seriam bairros pertencentes a mesma unidade administrativa lá são independentes.

palestina campanha z-c

A colônia árabe é muito forte no Chile, e domina o comércio do Patronato. Nessa foto diversas bandeiras árabes em solidariedade a Palestina.

Também na Recoleta, aos pés do Monte São Cristóvão, há um bairro boêmio, similar a Lapa carioca.

………..

Veja a esquerda a placa de rua da Avenida Santa Rosa.

Estamos a apenas 2,5 km do centrão de Santiago, fato indicado pela numeração da via, que começa bem no coração da cidade.

Pertíssimo do Centro, tanto que fui a pé. Mas já estamos em outro município, São Joaquim, como observam.

zona central

Zona Central – Santiago

………..

Mais uma pausa pra fotos. Veremos agora a Grande Valparaíso. Primeiro o município-núcleo, com suas muitas ladeiras.

‘Alvorada no morro, que beleza’. O Pacífico, o Centrão apinhado de camelôs, bairros de classe média e outros tomados de favelas.

Valpo é assim (clique sobre pra aumentar o tamanho):

amanhece no morro valpocamelos centro valpo1carretas valpocentro valpocondominio fechado classe baixa valpovalpo2valpo1sao roque valpovalpo bar de latavalpoperiferia valpo1placa valpoperiferia valpopacifico - valpoladeira valpovale dos ingleses valpo1vale dos ingleses valpomadeira alto padrao valpoclasse media valpofavela rodovia valpo

E agora o vizinho município de Vinha do Mar, umbilicalmente ligado a Valpo e igualmente sinuoso.

classe media-alta vinhaclasse media-alta1 vinhavinha classe mediavinha3subida do morro vinhavinha2classe media-baixa vinhaclasse media-alta vinha1classe media alto morro vinha

vendinha centro stgo

Mercearia no Centrão de Santiago.

……..

Já demos uma pincelada em outras postagens: 

O Chile é um país extremamente católico.

Como o Brasil um dia foi mas já não o é mais a muito, a 30 anos pelo menos.

Pois bem. O Chile ainda é católico.

Lá, as missas ainda enchem, mesmo as que são no meio da tarde em dias úteis.

vinha-centro

Centro de Vinha do Mar. Aquele morro ao fundo foi o que eu subi a pé.

O dia que visitei o São Cristóvão estava tendo uma grande festa católica ali.

Passou uma procissão gigante, alguns milhares de pessoas, bandeiras.

Entoavam cânticos e palavras de ordem. Inclusive centenas de adolescentes.

Ao pé do morro havia um palco montado, mais tarde haveriam apresentações ali.

….…..

descida do morro vinha1

Nas próximas 2 tomadas, o Centro de Vinha visto do alto do morro.

Em alguns aspectos o Chile é muito diferente da Argentina.

Na Argentina não existe ‘rap’, eles desprezam esse estilo.

No Chile adoram. Ali há muitas casas de madeira, o que inexiste na Argentina exceto nas Missões.

Agora, há alguns pontos em comum:descida do morro vinha

A periferia típica da Argentina e Chile se compõe de casas muito simples, com saída direto pra rua.

Isso já falamos em outras mensagens.

Aqui quero voltar a música. No Chile se ouve salsa, como no Peru e América Central.

E também se ouve tango, como na vizinha Argentina.

vinha

Centro de Vinha do Mar, com um dos micros com a pintura padronizada da Grande Valparaíso.

………….

Enfim galera, esse foi meu relato do Chile, do que presenciei e vivenciei por lá, em múltiplos aspectos.

Santiago é europeia urbanisticamente.

Em todas as outras dimensões é América pura.

E o interior é América de corpo e Alma.

beco everton vinha

Beco pobre em Vinha do Mar. O território já tem dono, o poste está demarcado nas cores do Éverton, time local.

Em Valparaíso eu me vi de volta a Acapulco-México e Medelím-Colômbia.

O barato é louco e arrepia na hora.

Ou, como eles dizem no Chile:

Patcha-Mama, esta és mi gana.”

……….

De arremate, deixo vocês com mais cenas que eu captei na Grande Santiago.

classe alta vinha

Classe elevada em Vinha do Mar.

Abrimos pela Zona Leste, a mais rica da cidade, mas que também tem bolsões de renda bem mais baixa, como esse sobradinho em madeirite deixa claro.

A Cidade da Rainha (‘Comuna La Reina’ no original, como está na placa) é fundamentalmente um subúrbio proletário.

Espremido entre duas regiões muito mais abastadas que a cercam pelos dois lados.

bela vista z-c

Bela Vista é o equivalente chileno da Lapa carioca.

Alguns barracões industriais, pombais de cohab (poucos mas existem), conjuntos humildes, outros ao contrário bastante sofisticados.

É a Z/L de Stgo. ‘Santiago Oriente’ no jargão local.

Tudo com uma beleza singular, pois emoldurado pelos Andes ao fundo, e por um céu quase sempre azulíssimo.

O Chile é muito seco e quase não chove.

Resultando que o horizonte está sempre celeste.

sobrado madeirite z-lmunicípio da rainha z-lfrango assado z-lconjunto classe media z-lclasse alta z-lcohab z-lcid. rainhaarea industrial z-lcid. rainha z-l

…………

periferia z-s

Bairro da Z/S onde havia a feira, um subúrbio de classe média-baixa. Como sempre no Chile, as casas saem direto pra rua.

Na sequência horizontal abaixo, as 3 primeiras cenas são da Zona Sul.

Já disse em outros textos: no Chile nas feiras de rua são diferentes das do Brasil, pois são maiores.

Lá se vendem alimentos, como aqui, mas vai muito além:

Também se vendem produtos de limpeza, roupas, brinquedos, artigos de papelaria, enfim um mercado completo.

E depois as últimas 3 imagens retratam o Centrão, muitos camelôs, o que também dá esse aspecto de feira livre.

feira2 z-sfeira1 z-sfeira z-scentrocamelos maipu z-ocamelos - centro stgo1

puxadinho no 3 andar Atualização de julho de 16: até sequência logo acima foi tudo ‘ao vivo’, ou seja clicado pessoalmente por mim quando estive lá em 2015.

Vamos ver agora o que escrevi 2 anos antes de ir ao Chile, apenas visualizando o país pela Visão de Rua do ‘Google’ Mapas.

Publicado em 13 de abril de 2013.

Você já viu ‘puxadinho‘ em prédio? No terceiro andar? Se não, vai ver agora. Bem-vindo a Santiago do Chile. puxadinho no 3 andar-Chile

É isso mesmo. Eu também custei a crer, mas as imagens não mentem. O cara mora no 3º andar de conjunto residencial, mas deu um jeito de fazer sacada, tirando o sol do vizinho de baixo.

Antes na mesma rua eu já tava observando que cada morador do térreo fez um puxadinho, como se morassem em casas. Veja: fizeram jardins, garagens, e alguns mesmo colocaram comércios, como aquela mercearia a direita na tomada abaixo. Mas no térreo é normal, né? Pelo menos na América Latina.

no terreo e normal1O Chile já foi filmado, e já andei muito por lá (até o momento que escrevi isso, somente via internet). E por isso lhes digo: o Chile é América, tanto quanto o Brasil.

É muito, muito parecido com o Brasil, em tudo. Me sinto completamente em casa nessa pátria trans-andina.

Aliás, como podem ver, em alguns aspectos até mais Americano que o Brasil. Olhe, já rodei nossa nação, em todas as suas 5 regiões. Já vi milhares de puxadinhos em prédio. No térreo. No 3º andar nunca tinha visto. Tudo tem a primeira vez.no terreo e normal

O Povo Americano dá nó em pingo d’água. Como podem mais uma vez comprovar.

O Chile é América. E nossa querida América é assim.

Deus proverá”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s