os tróleibus americanos, de Valparaíso a Vancuver

trolebus venezuela

Mérida, Venezuela. Segundo informações, o sistema elétrico foi desativado em 2016, agora só a dísel. Confira atualização no corpo da matéria.

Por Maurílio Mendes, “O Mensageiro”

Publicado em 13 de julho de 2013

Nota: todas as fotos foram puxadas da rede, exceto duas. Os créditos foram mantidos, sempre que eles estavam impressos nas imagens. Nas legendas passo a ligação pras fontes.

………..

América é um continente, não um país.

Quito1

Quito, Equador. Fonte dessa e várias fotos e informações: sítio Tramz.com, especializado em transporte elétrico.

Então nós vamos ver os tróleibus do continente. ‘Americano’ tem essa conotação, sempre.

Os ônibus elétricos de Boston, São Francisco, Seattle e Filadélfia, que também foram mostrados, são os tróleibus ‘estadunidenses’.

E daremos rápidas pinceladas de outros continentes.

Nessa matéria. Porém nessa outra há uma radiografia completa do transporte na América e também Ásia.

cidade méxico df d.f. buso trol américa verde decorado foto estátua anjo asas

Cid. do México. Nesses eu andei, em de 2012.

Em diversos modais incluso caminhões.

……

Essa mensagem começou como uma retificação:

Anteriormente eu escrevi que na América do Sul só há tróleibus no Brasil e Chile.

Essa informação está incorreta.

………..

canada

Vancuver: atualmente a única cidade com rede de trólei em todo Canadá.

Na América há sistemas em uso de tróleibus (2015, do sul pro norte):

Valparaíso, Chile;

Mendonça (foto acima da manchete), Rosário e Córdoba, Argentina;

Santos e Grande São Paulo, SP, Brasil;

Quito, Equador;

trolei valparaíso chile buso verde bege velho centro antigo propag

Valparaíso, Chile: tróleibus de 70 anos na pista. Foto clicada por mim em março/15.

Mérida, Venezuela;

Cidade do México e Guadalajara, México;

São Francisco, Dayton-Ohio, Filadélfia, Boston e Seattle, EUA; e

Vancuver, Canadá.

………

Atualização de maio.17:

Os tróleibus que circulam na Venezuela são bi-modais, eletrícos/dísel. Então realmente antigamente eles operavam alguns trechos sem estarem conectados a rede elétrica, e em outras partes estando conectados.

Belíssima tomada na ‘Cidade Colonial‘ (Centro Histórico) de Quito.

A Venezuela vem enfrentando gravíssimos problemas econômicos e políticos, e por conta disso estão ocorrendo cortes de energia.

Assim, a má notícia é que em 2016 os tróleibus deixaram de operar por completo a rede elétrica, só estão rodando mesmo a dísel, ao lado de outros ônibus que só funcionam a dísel.

Portanto se esse relato se confirmar a Venezuela deixou de ter tróleibus, só os teve por menos de uma década (2007-2016). A fonte é o sítio Tramz.com.

Além de Mérida, estava sendo construído no mesmo país uma rede de tróleibus na cidade de Barquisimeto, porém esses nem chegaram a rodar carregando passageiros, só em testes. O corredor foi inaugurado mas somente com ônibus a dísel.

.……

Ative as ligações em vermelho pra ler as matérias que já fiz sobre o Brasil e Chile.

argentina

Tróleibus na Argentina. Como outras imagens dessa matéria, a fonte é a Wikipédia.

Resumindo, já rodaram tróleibus em nossa pátria em Porto Alegre-RS; Ribeirão Preto, Araraquara e Rio Claro (as 3 no interior de SP);

No estado do Rio houveram 3 sistemas: 2 no Grande Rio, na capital e em Niterói, e outro em Campos, no interior;

E mais Belo Horizonte-MG, Salvador-BA, Fortaleza-CE e Recife-PE.

No Chile por duas vezes na capital Santiago, mas não há mais.

Agora só na sua outra capital, Valparaíso, que é onde fica o congresso

mapa

América do Norte: Na fonte (Trolleybuses.net) o mapa é interativo.

Uruguai, Peru e Colômbia um dia contaram com esse sistema mas o desmantelaram.

No mapa a direita você confere onde ele existe e existiu no passado na América do Norte:

Verde, tróleibus ativos. Vermelho, um dia sim mas não mais. Cinza, implantaram a rede e rodou em testes, mas não em escala comercial.

E pelo que está acima você fica sabendo, se é que já não sabe, tanto onde ainda há bem como onde um dia houve tróleibus na Argentina.

tróleibus de rosário: 1º estatais, foram privatizados e re-estatizados. Se tudo fosse pouco, Os únicos ônibus brasileiros de toda argentina

argentina rosário outras postagens: "BH, do Metrobel ao Move" e "Tabela Trocada" trol buso venda nova letreiro lona torino marcop ex- bh padrão verde vermelho faixa branca roda sem chapa

Rosário, Argentina. Mas a linha é “Venda Nova”?????? Eis aqui um caso de “Tabela Trocada” internacional, óbvio.

Na sequência horizontal abaixo, breve história dos tróleibus de Rosário.

Resumida em algumas imagens (clique sobre pra ampliar, o mesmo vale pra todas):

1) 1972:  Monobloco ‘Jurássico’ (fabricado nos anos 50, no máximo virada pros 60). Viação estatal municipal.

2) Anos 80 (provavelmente): empresa ‘Martim Ferro’, privatizado o sistema de trólei.

troleis

Troleibus pelo mundo: vermelho, desativado mas houve um dia. Azul em operação. Não sei a diferença entre os tons de azul. Não é a quantia de sistemas, já que a Rússia em clarinho tem 92 cidades com esse modal, e a Espanha e Turquia estão em escuro e têm 1 cada. A Etiópia (único azul da África) é um tom ainda mais claro: lá o sistema foi construído, os tróleibus foram entregues, mas nunca rodaram. Quem sabe no futuro, né? Em 2015 não há nenhum tróleibus sequer funcionando em toda África.

3 e 4) Belo Horizonte, Brasil, 1987. Essa cidade ia re-implantar os tróleibus, e chegou a eletrificar a Cristiano Machado.

Ia. Os veículos ficaram prontos e foram entregues, estavam pintados e com letreiro, tudo ok. E assim descartados, foram prum pátio apodrecer.

5) Estamos de volta a Argentina, 1994. Os ex-BH, que nunca rodaram na capital mineira, chegam a Rosário e vão pra pista.

A princípio mantendo a pintura. A viação é a ‘Ecobus’, privada.

6) Dois bichões em fila nas mesmas configurações, mas esses com letreiro correto.

7) Pintaram a ‘blusa’ também de verde, e ao lado das janelas de cinza. Ainda da ‘Ecobus’.

8) Mesma pintura. Não há mais o nome da empresa, mas nota-se uma bandeira argentina.

trolei

Clique pra ampliar

9 e 10) Re-estatização:

Sai a ‘Ecobus’, entra a Semtur (sigla de Sociedade Estatal Municipal de Transporte Urbano de Rosário). Uma pequena ‘saia’ laranja, ‘blusa’ alongada cinza.

11 e 12) Re-encarroçamento:

Sacaram fora a Marcopolo, substituíram com uma cobertura argentina.

Um exemplar, o n° 8, foi preservado no original como museu vivo.

detalhesNo letreiro eletrônico: “KKKKK”. Parece que o bichão tá dando uma gargalhada. De certo há bons motivos . . .

Ao lado detalhe do antigo letreiro em que alinha vinha fixa, pintada, e a lateral do buso, com o logo da Semtur, a viação estatal rosarina.

Mais alguns detalhes sobre a galeria acima.

reformado argentina rosário trol buso vidro preto linha k torino marcop ex- bh laranja 3 portas padrão faixa cinza roda cortina eletrônico Fotos oriundas dos sítios (além dos já citados mais pra cima):

Acervo Bus MG;

Buses Rosarinos ;

All Buses (esse 2 últimos são argentinos).argentina rosário trol buso vidro preto linha k fixa letreiro torino marcop ex- bh laranja 3 portas padrão placa rua faixa cinza roda

Outra coisa: repito qqui duas tomadas dos busos ainda com carroceria Marcopolo mas já na pintura da Semtur.

É porque na galeria elas não abre o tamanho máximo, e eu consegui essas imagens grandes em excelente resolução, vale a pena clicar e conferir.

trovão sem placa azul buso sp trol artic branco 8000 CMTC caio

SP, anos 80. Fonte dessa e outra imagem: Revista Portal do Ônibus.

Repetindo o que as fotos já mostraram: a cidade de Rosário merece uma menção a parte, por duas curiosidades.

Primeiro, é a única cidade que conheço que uma viação de ônibus é pública, vendida a iniciativa privada, e depois a frota é re-estatizada.

Foi exatamente o que aconteceu lá. Veja esse ‘Monobloco Jurássico” fabricado nos anos 50 operando lá em 1972.

boston2

Boston, EUA

Depois as linhas de tróleibus foram vendidas pra companhias privadas, a ‘Martim Ferro’ e Ecobus (talvez hajam outras, posso dar certeza dessas duas).

E como Ecobus chegou a Argentina uma leva de Marcopolos que iria pra B.H., mas não foi. Abaixo falo melhor disso.

Aqui, só pra fechar a questão da propriedade dos tróleibus rosarinos, arremato dizendo que o mais incrível ocorreu, eles foram re-estatizados.

argentina córdoba américa trol buso vermelho articuado vidro preto propag anúncio 4 portas

Córdoba, Argentina

Parte deles pelo menos, nunca estive na Argentina (exceto na cidade de Porto Iguaçu, fronteira com o Brasil). Isso era verdade quando mandei essa mensagem, em 2013.

(Atualização: em março de 2017 estive em Buenos Aires, Córdoba e Mendonça. A capital teve um dia tróleibus mas não mais a muito. Entretanto, andei [e fotografei] nos tróleis de  Córdoba e Mendonça, breve postagem específica sobre o transporte nesse país, e atualizo essa mensagem também.)

Feito o adendo, em Rosário continuo sem nunca ter ido. Assim as informações que tenho são de meus estudos pela internet. Resultando que não posso dar certeza se todo sistema de troleibus dessa cidade voltou pras mãos do estado ou apenas parte dele.

Santos trol interior litoral paulista lona linha numérica número circular mafersa azul branco buso praça independência baixada

Santos-SP, nov. de 2015, minha autoria.

O que sei é que a linha ‘K’ foi re-estatizada, agora é operada pela viação pública Semtur.

………

E segundo, vejam só vocês:

No sistema de tróleibus de Rosário circulam os que até então eram os únicos ônibus brasileiros de toda Argentina.

A legislação não permitia. Abriram uma exceção pra esses tróleibus porque foi uma pechincha, afinal estavam zerados e parados num depósito.

SP trol verm letreiro eletrônico ipiranga caio z/s buso gentil moura

SP, atual.

Abaixo falamos mais disso. Agora vejamos porque esses bichões foram parar lá:

Belo Horizonte teve tróleibus até 1969. Na década de 80 eles seriam retomados.

Assim parte da Avenida Cristiano Machado, que liga o Centro a Zona Norte, foi eletrificada.

Uma frota de moderníssimos Torinos da Marcopolo (com sistema elétrico da Tectronic) foi entregue em 1987.

guadalajara

Guadalajara, México.

Inclusive já pintados “Terminal Venda Nova/Terminal Lagoinha” na lataria, como notam.

Pra quem não conhece a capital mineira, até pouquíssimo tempo atrás funcionava dessa forma:

A linha é pintada no ‘carro’, que portanto fica fixo nela, não pode alterar.

quito equador américa trol buso azul branco faixa corredor estação ponto canaleta articulado vidro preto

A moderna rede de tróleibus de Quito, Equador, e suas estações futuristas.

Agora mais recentemente ainda há a linha na lateral.

Mas com um letreiro eletrônico, que portanto pode ser mudado.

Mas até toda frota ser renovada leva tempo, ainda há milhares de busos com a linha pintada.

Mais sobre isso em matéria específica ligada acima, que já levantei pra rede.

seattle1

Seattle, EUA: note o bicicletário na frente, comum em cidades dos EUA e Canadá, especialmente no litoral.

No momento o que nos importa é que nos anos 80 obviamente não havia letreiro eletrônico. Então a linha foi pintada na lateral.

Ou seja, os veículos estavam prontinhos pra rodar. E por isso foram entregues, no ano de 1987.

Só que nunca rodaram …

Exatamente como aconteceu na Colômbia, a frota foi levada prum pátio, pra lá os ‘carros’ apodrecerem sem nunca terem sido usados uma vez sequer.

porto-portugal

Tróleibus-2 andares que operou no Porto, Portugal. A cidade não tem mais tróleibus.

Por sorte, em 1993 a cidade de Rosário inicia negociações pra comprá-los, minimizando assim o prejuízo aos cofres públicos brasileiros.

Assim em 1994 eles chegam a Argentina, e já com 7 anos mas ainda zero km entram enfim em ação, fazendo o que foram programados:

Transportar passageiros sem poluir.

No começo rodaram como chegaram na cor vermelha.

Depois pintaram a parte de baixo da faixa (a “saia”) de verde. Acima dela, a “blusa”, permaneceu vermelha.

joanesburgo

Joanesburgo, África do Sul: 2 andares, tróleibus e tribus!!! Tudo num só. Um dia, que já se foi. Os tróleibus foram eliminados em todo continente.

………

E o mais incrível:

Não mudaram sequer o letreiro!!! Em Rosário, como já dito, eles cumpriam a linha ‘K’.

Mas no letreiro ainda vinha como “Venda Nova”, revelando – se é que era preciso – a origem brasileira.

Depois enfim pintaram os bichões por inteiro:

mexico-df-1972

Cidade do México, 1972.

Uma saia curtinha laranja e uma blusa alongada de cinza, com o espaço ao redor das janelas de negro.

Foi aí que eles foram re-estatizados.

Foram nesse período de 1994 a começo do novo milênio os únicos ônibus brasileiros de toda Argentina, repetindo ainda mais uma vez.

ACF-Brill trolleybus at E. end of Phila. route 79 in July 1978. Photo by Steve Morgan.

Filadélfia, EUA, 1978. O veículo foi fabricado em 1947, portanto tinha 31 anos de uso nesse dia.

Isso porque esse vizinho país teve uma lei que impedia a importação de ônibus, vejam vocês.

Depois foi revogada, mas no século passado era assim. Além desses elétricos, urbano a dísel não havia nenhum.

Nenhum mesmo, zero, em nenhuma cidade.

Hoje não é mais assim. Há busos brasucas por lá. Mas antes desses tróleibus não existia.

mendonca

Um trólei-tribus bem antigo em Mendonça, Argentina

Nos anos 80, por uma brecha na legislação, entrou um Caio Gabriela, que foi nessa década o único ônibus urbano brasileiro de toda Argentina.

No Chile é o inverso, 100% dos ônibus urbanos de Santiago são brasileiros.

Todos eles, sem exceção. Isso me refiro aos de tamanho normal.

Entre os micros eles são metade, mas a outra metade é chilena.

trolei-biart-suica

Tróleibus bi-articulado em Zurique, Suíça. Nesse país ainda há Romeu-&-Julieta na ativa, inclusive trólei.

No Uruguai, Paraguai e interior do Chile os ônibus brasileiros são maioria.

E embora já minoria ainda assim muito comuns na Colômbia, Peru, México e toda América Central.

Mas na Argentina é proibido e por isso não existe, ao menos no modal urbano.

mexico df

Cid. do México: nada no letreiro, linha escrita a giz no vidro. É o padrão lá.

Aí chegaram esses tróleibus.

Creio que foi permitido porque o preço era de ocasião.

Afinal eles apodreciam aqui novinhos, foi feita uma oferta bem generosa.

O governo argentino permitiu, pois era vantagem pra eles. Por isso existiu.

Mas agora não mais.

cordoba

Córdoba, Argentina

Na primeira metade da década de 10, arrancaram fora a carroceria Marcopolo brasileira e substituiram-na por uma argentina.

É comum a prática do re-encarroçamento entre os frotistas.

E lá mais uma vez esse procedimento foi aplicado. Após 2 décadas e pouco acabaram com as únicas carrocerias brasileiras desse país.

sao-paulo

SP: esse não está na ativa. Foi preservado no ‘Museu da CMTC‘, e vai pra rua em dias festivos, como brinde aos busólogos.

Um exemplar, o número 8, foi mantido no original, pra virar um museu vivo.

Esse ainda Marcopolo, os demais agora com cara argentina, a frota ainda circula em 2015.

É uma característica dos tróleibus terem longa, por vezes longuíssima, longevidade, mesmo no riquíssimo EUA.

No sistema do ABC, Grande SP, há estão na ativa alguns Marcopolos contemporâneos a esses, do meio dos anos 80.

Preserved Seattle 1944 Pullman-Standard trolley bus 1055, turning onto NE 50th St. from University Way, on an excursion in 2000. Photo by Steve Morgan.

O mesmo ocorre nos EUA. Esse foi fabricado em 1944. Em 2000, ele fazia uma viagem de exibição em Seattle somente pros convidados busólogos, não está em linha regular portanto.

Em Valparaíso-Chile vai ainda além:

Tróleibus de 70 anos – é isso que você leu – ainda estão na pista.

Pelas legendas no decorrer da matéria há outros exemplos.

E se você clicar na ligação sobre os tróleibus brasileiros logo no topo da página verá muitos outros mais.

Atualização: por pouquíssimos meses os ônibus elétricos retornam a Colômbia.

Foi inaugurado em novembro de 2011. Não era uma linha normal, de rua, que aceita qualquer passageiro. E sim uma linha interna de um campus de uma universidade em Medelím.

A rede eletrificada tinha somente 400 metros, dentro do campus. Foi construída pelo idealismo de um professor, que convenceu a instituição a bancar o projeto.

trolei-medelim-2011

Medelím, 2011/12: por um ano a Colômbia voltou a ter tróleibus. Mas acabou de novo.

O professor queria fazer uma extensão fora dele, chegando a Estação Estádio (em frente ao estádio Atanásio Girardot, onde vi o clássico de futebol local) da linha B do metrô.

Aí o tróleibus ao invés de apenas um projeto acadêmico, quase uma ‘tese de conclusão de curso gigante’, passaria a ser uma linha viável, rentável economicamente caso fosse tarifada.

Pois claro os estudantes a utilizariam pra ir e voltar do metrô ao campus. Mas não deu. Ao invés de ser ampliada a única linha de tróleibus do país foi extinta em fins do ano de 2012.

O sonho da Colômbia de voltar a ter tróleis morreu na casca.

aqui passa tróleibus…………..

Vou enxertar aqui outro emeio.

Que trata do mesmo tema mas em outro continente. 

“OS TRÓLEIBUS DE MOSCOU”

troleibus moscovitaPublicado em 21 de abril de 2012

O ‘Google’ Mapas acabara de levantar a Rússia (entre outros países) pro modo de Visão de Rua.

Então, eu andava no Centro de Moscou e vi uns fios suspensos em cima da rua, como retratado na imagem acima.

tróleibus velho MoscouMe deu um estalo, de saber o que isso significa. Quem conhece São Paulo sabe também:

Nessa rua passa troleibus”, é óbvio.

………….

trolebus-merida

Voltamos pra América. Bela tomada em Mérida, Venezuela.

De fato passa. Virei a esquina e dei de cara com o bichão azule branco da foto a direita.

Um troleibus moderno muito bonito, pra quem é busólogo pelo menos.

Depois, em outro local, vi também um troleibus bem antigo (esquerda).

Um guerreiro remanescente da URSS ainda na ativa em Moscou, 2011.

filadelfia

Filadélfia, EUA

………….

Fabricado nos anos 60.

Remanescente da época que os russos ainda achavam que o comunismo triunfaria no mundo.

Não deu certo, esse sistema soçobrou, a URSS se foi, a Cortina de Ferro se abriu.

vancuver

Vancuver, Canadá. Ônibus imita um bonde. Não é um trólei, evidente. Mas como trata-se de um curiosidade do transporte quis mostrar. Na Argentina há um exatamente igual.

Aqui o que quero apontar é que o troleibus sobreviveu a queda desse império e continua até hoje a transportar os moscovitas.

Dos 358 sistemas de tróleibus ativos no mundo em 2015, nada menos que 291 são em países que um dia foram comunistas, ou seja 80% do total.

Pois no quesito transporte o tróleibus é a marca registrada do comunismo:

Apenas a Rússia tem nada menos que 92 cidades com ônibus elétricos circulando.

sao francisco garagem 2000

Garagem dos tróleis em São Francisco, EUA, ano 2000.

Na Ucrânia mais 47, a Coreia do Norte 22 e a China 20. São disparados os 4 países no mundo com maior número de tróleis.

Mais 4 países ex-comunistas (Bulgária, República Checa, Geórgia e Romênia) tem pelo menos 10 redes de tróleibus em uso, cada um.

Nota: na tabela ainda consta o nome “Tchecoslováquia”, com 13 sistemas. Na verdade apenas a República Checa conta hoje com 13 cidades com trólei. A Eslováquia tem mais 4.

Entre os que nunca adotaram o sistema marxista, a Itália tem 16 e a vizinha Suíça 14 cidades onde ainda correm esses bichões. Nenhum outro país chega a 10.

Sao Francisco3

Trólei-articulado também em São Francisco.

Só pra fechar:

Até a ex-prefeita Marta Suplicy desmantelar metade da rede em sua gestão, São Paulo tinha a maior rede do mundo excluindo esses países ex-comunistas acima citados.

Mesmo assim, até agora a rede paulistana é razoavelmente extensa, e ainda é uma das maiores do planeta.

Ademais, vários tróleis de SP são trucados, ou seja contam com 3º eixo. Fiz uma matéria sobre os ‘Tribus Urbanos’, e lá os elétricos paulistanos têm enorme destaque.

sao francisco aberracao

Que coisa horrorosa!!! Tróleibus inteiro adesivado com propaganda também em S. Francisco/EUA. No Brasil houve essa aberração no passado, mas hoje não mais. No México e Chile ainda existe, infelizmente.

Fora da Grande São Paulo, no Brasil só troleibus em Santos-SP, mas é uma única linha, muito mais uma atração turística que transporte coletivo de massas.

………..

Com o tempo vou levantando aqui pra página outros emeios que já mandei sobre esse tema, com outras dezenas de fotos.

Fique ligado. Ou, como o tema são ônibus que puxam a carga de uma rede de fios, pra tudo se ‘alinhar’ fique conectado na rede.

Que Deus Ilumine a todos.

Deus proverá”

Anúncios

2 comentários sobre “os tróleibus americanos, de Valparaíso a Vancuver

  1. Eron Assunção disse:

    Queria que fosse falasse mais sobre os trólebus de Quito no Equador e o de Caracas na Venezuela, sei que os de Caracas em alguns trechos rodam se estarem conectados a rede eletrica e o de Quito tem de varias cores, queria enteder o porque disso. Muito boa a materia, abraço !!!

    Curtir

    • omensageiro77 disse:

      Firmeza, estamos de volta ao Brasil. Primeiro é preciso esclarecer que o sistema de tróleibus na Venezuela não é na capital Caracas e sim na cidade de Mérida.

      Como você disse, os tróleibus que circulam na Venezuela são bi-modais, eletrícos/dísel. Então realmente antigamente eles operavam alguns trechos sem estarem conectados a rede elétrica, e em outras partes estando conectados.

      A Venezuela vem enfrentando gravíssimos problemas econômicos e políticos, e por conta disso estão ocorrendo cortes de energia. Assim, a má notícia é que em 2016 os tróleibus deixaram de operar por completo a rede elétrica, só estão rodando mesmo a dísel, ao lado de outros ônibus que só funcionam a dísel.

      Portanto se esse relato se confirmar a Venezuela deixou de ter tróleibus, só os teve por menos de uma década (2007-2016). Além de Mérida, estava sendo construído no mesmo país uma rede de tróleibus na cidade de Barquisimeto, porém esses nem chegaram a rodar carregando passageiros, só em testes. O corredor foi inaugurado mas somente com ônibus a dísel.

      Vou atualizar a página com essas informações.
      ……….

      Quanto ao Equador. Eu não sei te informar o porque das diversas cores. Eu ainda não tive a oportunidade de ir a esse país, meu estudo é só pela internet. E pesquisando aqui não achei a explicação.

      Boa parte das informações dessa matéria veio do sítio http://www.tramz.com

      que é especialista no transporte elétrico. Pesquisei ele agora, e também a Wikipédia, mas não achei a causa dos tróleibus de Quito serem multi-coloridos. Dá uma olhada você mesmo, quem sabe tenha mais sorte. Mesmo que não ache essa informação, ali há dezenas de fotos que valem muito a pena serem vistas. Bem, somando toda América, há milhares de fotos, mapas, etc. Recomendo conferir.

      E se um dia você descobrir nessa ou noutra fonte o porque de tantas cores, me escreva de novo contando, que eu atualizo novamente a página.

      Abraços, amigo. Valeu pelo comentário.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s